manutenção de frota

Manutenção Preventiva em Caminhões: Entenda a Importância

Para cumprir prazos e alcançar todos os objetivos planejados, uma empresa precisa contar com caminhões seguros e de alta performance. E para garantir pleno funcionamento desses equipamentos, é essencial trabalhar com a Manutenção Preventiva.

O fato é que análises e intervenções programadas fazem parte de um conjunto de medidas recomendadas por toda fabricante de caminhões. Por isso, empresas que dependem diariamente dessas ferramentas, não devem ser negligentes nesse sentido, a fim de prolongar a vida útil dos veículos e aumentar a segurança de seus funcionários.

Mas, o que é realmente a Manutenção Preventiva? Quais os benefícios? E o que pode acontecer se a sua empresa não implementá-la? Para responder essas e outras perguntas, confira o nosso artigo completo sobre o assunto.

Boa leitura!

O que é a Manutenção Preventiva?

De maneira simples, manutenção consiste em uma estratégia de monitoramento e controle para impedir ou reduzir o impacto de falhas nos equipamentos. O objetivo principal é aumentar a confiabilidade e estender a vida útil dos veículos.

Em geral, há 3 tipos de manutenção: Manutenção Corretiva, Manutenção Preditiva e Manutenção Preventiva.

Manutenção Corretiva

Dos três métodos, a Manutenção Corretiva, sem dúvida, é a mais onerosa para uma empresa. Ela só é posta em prática quando alguma peça ou sistema do caminhão deixa de funcionar, não tendo um planejamento definido para análises.

Gasta-se mais com peças e intervenções emergenciais e todas ações são reativas. Em geral, a empresa consegue consertar o veículo, mas sempre investindo valores maiores nas peças e correndo o risco de ter o caminhão parado por um bom tempo.

Manutenção Preditiva

A Manutenção Preditiva é o modelo “mais novo” nesse cenário. É um pouco parecida com a Preventiva, com a diferença de que são utilizadas ferramentas de alta tecnologia para estudar e avaliar os sistemas dos caminhões.

Além disso, aqui, a maior parte das análises é feita pelos próprios trabalhadores que utilizam os veículos — com tudo ocorrendo quase que rotineiramente.

No entanto, em razão da compra dos aparelhos de análise e da necessidade de treinamento dos profissionais, a Manutenção Preditiva se torna bastante custosa para a maioria das empresas.

Manutenção Preventiva

Podemos dizer que a Manutenção Preventiva é mais eficiente que a Corretiva, e menos onerosa que a Preditiva. Nessa metodologia, é criado um cronograma para que as avaliações e as intervenções sejam realizadas nos caminhões.

Normalmente, o planejamento é feito baseado nas informações e instruções repassadas pelos fabricantes dos veículos, bem como, pelo histórico dos equipamentos. Mas isso não é uma regra, dependendo do espaço de tempo ou de alguma eventualidade, a manutenção pode ser realizada em datas fora do cronograma.

Na maior parte das empresas, a Manutenção Preventiva é a mais utilizada para garantir o funcionamento dos veículos.

Quais os benefícios de se trabalhar com a Manutenção Preventiva?

Como vimos, a Manutenção Preventiva consiste em um trabalho de prevenção e estudo sobre a performance dos caminhões de uma empresa. Mas, quais são os benefícios reais?

Garantia de serviço contínuo

Com a Manutenção Preventiva você corre baixíssimo risco de ter o serviço paralisado por falta de caminhão. Como as intervenções são feitas periodicamente, todos os equipamentos tendem a se manter seguros e em pleno funcionamento.

Redução de custos

Os custos aqui também são moderados, pois há possibilidade de planejamento de compra. Por exemplo, é possível saber se na próxima intervenção será necessário a troca de uma determinada peça. Com isso, a sua empresa pode pesquisar e adquirir o item de maneira antecipada e com maior economia.

Alta performance dos caminhões

Trabalhando continuamente com peças novas e com a manutenção em dia, os veículos tendem a apresentar alta performance durante os serviços da empresa. Isso não só traz mais segurança para os colaboradores, como também mais credibilidade e lucro para o negócio.

Quais os riscos de não se aplicar a Manutenção Preventiva?

Como explicado na introdução, a Manutenção Preventiva não é algo que possa ser negligenciado, sendo altamente recomendada pelos fabricantes dos caminhões. Ao não implementá-la, uma empresa corre grandes riscos. Entenda mais.

Atraso nas coletas e entregas

Para atingir as suas metas, a sua empresa precisa realizar todas as coletas e entregas dentro do prazo. Mas, sem o devido cuidado com as peças e sistemas dos caminhões, é um equilíbrio quase impossível de ser alcançado.

É claro que, com constantes atrasos e cancelamentos, a sua empresa, gradativamente, perderá espaço, credibilidade e competitividade no mercado.

Aumento do risco de acidentes

Quem não se planeja, aumenta os seus riscos. Isso é um fato. Ao não manter as avaliações e intervenções dos caminhões em dia, você maximiza as chances de acidentes com os veículos — tanto dentro quanto fora da empresa.

Como se trata de equipamentos grandes e imensamente pesados, as consequências de uma falha simples podem ser irreversíveis. Será que vale a pena correr o risco?

Sem dúvida, a Manutenção Preventiva é um ponto que não pode ser negligenciado por nenhuma empresa logística. Todavia, se você deseja economizar ainda mais e, ao mesmo tempo, garantir serviços de alto padrão, é interessante contar com transportadoras como a RDR Soluções Logísticas, que contam com frota própria e apresentam um controle rigoroso e eficiente nos seus veículos. Assim, você une economia, segurança e alta performance.

Acesse e conheça os serviços diferenciados da RDR Soluções Logísticas.

como calcular frete de transportadora

Frete de Transportadora: Descubra como calcular

Embora seja algo que muitos empresários ainda não enxergam como prioridade, entender como é feito o cálculo de frete das transportadoras é importante em termos competitivos, pois permite que a empresa consiga trabalhar dentro de suas margens financeiras.

Porém, essa procura moderada pelo detalhamento na precificação do frete é até fácil entender. De fato, o cálculo envolve muitas variáveis que, algumas vezes, são bastante complexas. Assim, vários gestores preferem simplesmente fechar o negócio a entender como a conta foi feita conta.

Pensando nessa situação, criamos este artigo detalhando os tipos de fretes disponíveis no país e quais fatores influenciam diretamente na hora do cálculo das transportadoras. Continue com a gente e confira. Boa leitura!

Quais as modalidades de carga de transporte?

Para começar a entender como o cálculo de frete é feito pelas transportadoras, é essencial saber quais os tipos de cargas entram nessas operações. Em geral, há duas modalidades: Carga Fechada e Carga Fracionada. Cada tipo demanda pontos específicos que fazem toda diferença no valor final.

Carga Fechada

Como o nome pressupõe, a Carga Fechada acontece quando a mercadoria transportada ocupa todo espaço físico dentro do veículo. Ou seja, uma única empresa utiliza o caminhão para transportar o seu produto de um ponto para o outro.

Carga Fracionada

Na Carga Fracionada há basicamente o oposto. Quando várias empresas precisam enviar pequenos volumes para diferentes lugares, elas dividem o espaço dentro de um mesmo veículo.

Com isso, o caminhão da transportadora para em diversos pontos ao longo da sua viagem, com os custos sendo rateados por todas as empresas contratantes.

Quais os tipos de frete das transportadoras no Brasil?

As transportadoras aqui no Brasil definem o tipo de frete a ser implementado na operação considerando fatores como produto, rota, prazo etc. Em geral, há três modelos que podem ser utilizados: Frete normal, Frete por subcontratação e Frete por Despacho.

Frete normal

Sendo chamado também de “Direto”, é o tipo mais utilizado pelas transportadoras. O trâmite de contratação é simples: com toda negociação acontecendo entre o contratante e a transportadora, e o produto sendo entregue para o destinatário final.

Frete por subcontratação

Na modalidade subcontratação acontece uma espécie de terceirização de frete. A transportadora principal repassa parte da operação para parceira e se torna a gerenciadora do processo como um todo.

Frete por redespacho

No redespacho também acontece uma terceirização de serviço, porém, aqui, a transportadora contratada primeiramente retira a mercadoria no local indicado pelo contratante e depois repassa o serviço de entrega para a sua parceira.

Com o tipo de Frete definido, o próximo passo é escolher qual modelo de pagamento será implementado:

  1. CIF (Cost, Insurance and Freight): no qual os valores serão pagos pelo contratante ou remetente.
  2. FOB (Free on Board): no qual os valores são pagos pelo destinatário.

O que considerar para calcular o frete da transportadora?

Sabendo qual modalidade de carga e qual tipo de frete serão utilizados, o passo final é destrinchar os pontos fundamentais para o cálculo do serviço. Conheça, abaixo, os fatores que você deve avaliar para calcular a operação:

  • Distância: refere-se à distância do ponto de coleta ao ponto de entrega;
  • Cubagem: a cubagem é o resultado do comprimento x largura x altura x fator de cubagem (300);
  • Valor na NF: cargas com valores altos exigem maiores cuidados, aumentando os custos da operação;
  • Peso: quanto maior o peso da mercadoria, maior tende a ser o consumo de combustível, resultando em adições no frete;
  • Taxas: cada operação pode apresentar diferentes taxas extras, por exemplo, taxa de devolução, dificuldade na entrega, gerenciamento de riscos, restrição ao trânsito, entre outras.

Com os dados de cada ponto específico em mãos, você tem todas as informações necessárias para calcular o valor do frete da transportadora. Para facilitar, é interessante utilizar softwares ou ferramentas que automatizem a tarefas, pois, para chegar a um número exato, é necessário um cruzamento dessas informações.

O mais importante é que esse trabalho prévio trará respaldo e segurança para que a sua empresa negocie com a transportadora. Tendo conhecimento sobre quais fatores são avaliados no cálculo, você conseguirá trabalhar dentro da sua margem orçamentária, trazendo maior vantagem e tranquilidade para a operação.

Para entender de maneira mais direta e interativa como acontece o processo de frete de uma transportadora, baixe agora mesmo o nosso infográfico sobre o assunto.