machine learning na logística

Machine Learning na Logística: Tudo o que você precisa saber

Ainda que pareça algo de outro mundo à primeira vista, a verdade é que a maior parte das pessoas tem contato direto com o conceito prático do machine learning rotineiramente. Afinal, quem não ouve músicas ou assiste filmes por streaming hoje em dia?

Isso mesmo, aquela música ou série indicada nos serviços pagos é uma ação realizada por uma inteligência artificial. Graças à tecnologia do machine learning, o sistema consegue interpretar suas preferências só analisando dados extraídos. É realmente algo revolucionário.

Mas e na logística, esse tipo de tecnologia é capaz de otimizar a rotina de trabalho de uma empresa? Para responder esse questionamento, preparamos este artigo sobre o conceito do machine learning e como a ferramenta pode ser aplicada no setor. Confira!

Boa leitura!

O que é o machine learning?

A tradução do machine learning é o pontapé ideal para entendermos sobre o que se trata essa tecnologia. O “Aprendizagem da máquina” é uma área da ciência da computação focada no aperfeiçoamento dos sistemas, possibilitando que realizem tarefas e tomem decisões baseadas em uma análise de dados.

A ideia principal por trás do projeto é desenvolver programas, computadores e softwares capazes de interpretar e até mesmo pensar como os seres humanos, resultando em uma interação mais homogênea e dentro da nossa realidade.

É por isso que, como dito na introdução, a explicação sobre o machine learning soa meia futurística e até fictícia. No entanto, tudo é real e constantemente utilizado por boa parte da população global.

Mas é importante que não se confunda o machine learning com a inteligência artificial. Para ficar mais claro, basicamente, o primeiro é como se fosse uma das etapas do segundo. O machine learning é a parte que estimula a tomada de decisão do sistema utilizando a coleta de dados.

Por que o machine learning é importante para a sua empresa?

A grande vantagem do “Aprendizagem da máquina” é que se trata de uma tecnologia evolutiva e não algo estático ou fechado. O termo “aprendizagem” não é colocado à toa. Com a capacidade de assimilar respostas e conhecimento a cada nova leitura de dados, a tecnologia pode ajudar uma empresa em diferentes frentes.

Por exemplo, a introdução da ferramenta no setor de Atendimento foi a grande responsável pela criação da Interação inteligente, com clientes tendo suas dúvidas respondidas e recebendo dicas diretamente do sistema das empresas.

Seja no setor logístico, no ramo do varejo ou qualquer outra área, a sua empresa só tem a ganhar com a implementação da tecnologia. Com a repetição de tarefas, a máquina passa a compreender o processo de execução e realiza as mesmas atividades de maneira equivalente.

Como o machine learning pode melhorar a sua rotina logística?

Você já sabe que o machine learning é uma tecnologia real e aplicada em diversos segmentos – inclusive na logística. Mas, quais processos, de fato, a ferramenta é capaz de otimizar em uma empresa do setor? Entenda mais.

Contratação de fornecedores e transportadoras

Com um software que utiliza o machine learning para a sincronização de dados, o sistema da sua empresa começa a traçar o perfil ideal dos fornecedores e transportadoras. Com base nas suas últimas escolhas e um estudo sobre o que é oferecido no mercado, o seu gestor ganha uma base sólida para tomar a escolha certa.

Isso é interessante, pois torna o processo de contratação e fechamento de parceira bem menos desgastante. Além disso, você aumenta as chances de um relacionamento longo e transparente com as outras empresas.

Tomada de decisões em relação à cadeia de suprimentos

Não só o processo de escolha de parceiras é contemplado com o machine learning na logística. Na prática, tudo que envolve a cadeia de suprimentos do seu negócio é elevado a um novo patamar.

Nesse cenário, você evita tomar qualquer direcionamento importante apenas com base em “achismo” ou intuição – desde a compra da matéria-prima até o processo de distribuição de mercadorias.

Um ótimo exemplo de benefício possível é a maior eficiência da sua empresa ante as sazonalidades. Com a tecnologia trabalhando a seu favor, você constrói um planejamento com previsibilidade, evitando os efeitos negativos nos períodos que exigem maior ou menor volume de produtos.

Relacionamento com o cliente

Logicamente, os bons resultados permitidos pela implementação do machine learning refletem diretamente no relacionamento da sua empresa com o cliente.

O primeiro fato diz respeito à previsibilidade mencionada. Com estoques mais seguros, você garante que os clientes sempre tenham à disposição produtos e serviços que mais necessitam, possibilitando uma experiência de compra completa.

Além disso, os algoritmos podem indicar as melhores ações a serem tomadas em termos de atendimento e pós-venda, a fim de manter o cliente sempre próximo e satisfeito com a sua marca.

Enfim, não há dúvidas que o machine learning é uma tecnologia que transforma todos os setores na qual ela é inserida. A experiência dos usuários de streaming, por exemplo, tende a ser sempre melhor por causa da ferramenta. E assim também pode ser com a sua empresa dentro da logística. Por isso, utilize a tecnologia com inteligência e alie-se a parceiras que trabalham com o mesmo conceito de inovação.

Ficou com alguma dúvida sobre o machine learning? Deixe o seu comentário.

dados na-nuvem logística

Dados empresariais na nuvem: É seguro?

Há pouco mais de uma década, se algum profissional sugerisse o armazenamento de dados empresariais na nuvem, provavelmente, receberia olhares de incredulidade ou até mesmo seria motivo de risadas — a ideia de cloud computing era praticamente algo de outro mundo.

Mas a situação ainda não mudou por completo. Por mais que a nossa realidade atual mostre o contrário, a verdade é que a utilização da “nuvem” é algo novo. A prova disso é o fato de que o armazenamento de dados importantes, como um orçamento empresarial, por exemplo, ainda deixa muitos empreendedores com “pé atrás”.

Mas, será que armazenar dados empresariais na nuvem realmente é uma boa ideia? O quão vantajoso é para o seu negócio? Para que você não fique mais com nenhuma dúvida, preparamos este artigo especial sobre o assunto. Continue com a gente e confira.

Boa leitura!

O que é o armazenamento em nuvem?

Para analisar a confiabilidade do armazenamento de dados empresariais na nuvem, primeiro é preciso entender como essa tecnologia funciona.

A nuvem nada mais é que um espaço grande ou ilimitado na internet utilizado para salvar diferentes tipos de documentos digitais. Se o acervo é digital, então pode ser armazenado na nuvem, por exemplo:

  • arquivos de leitura;
  • vídeos;
  • fotos.

Com isso, as empresas não precisam utilizar mais seus próprios equipamentos, como computadores e hardwares, para guardar informações e dados produzidos diariamente.

Tudo fica salvo em servidores que podem estar em qualquer lugar do planeta, sendo esse o principal diferencial da nuvem — não é porque a sua empresa está localizada no Brasil que o servidor da nuvem também estará endereçado no mesmo país. Essa vantagem é uma das grandes razões para que a tecnologia apresente alto índice de confiabilidade.

Por fim, para você que ainda está com dúvidas sobre o funcionamento da nuvem ou acredita se tratar de algo fora do alcance das pequenas empresas e de pessoas comuns, saiba que a utilização da tecnologia já é algo rotineiro para muita gente — ainda que algumas não se deem conta disso.

Vários programas e softwares convencionais utilizam a nuvem como suporte. O Drive e o Gmail, duas famosas soluções da Google, por exemplo, armazenam seus arquivos nesse formato de sistema. Assim como o Icloud, da Apple.

Então, se você utiliza alguns desses aplicativos — ou de muitos outros — saiba que já faz parte do grupo de usuários assíduos da nuvem. E assim também acontece com a maior parte das empresas.

Armazenar dados empresariais na nuvem é realmente seguro?

A nuvem é uma realidade, sendo utilizada nas mais diversas atividades do dia a dia. No entanto, será que esse sistema é realmente seguro para o armazenamento de dados empresariais?

Essa ainda é uma das grandes dúvidas de muitos empreendedores — e não é difícil de entender o motivo. Por anos, as organizações utilizaram seus próprios hardwares e servidores locais para armazenar dados vitais, como:

  • orçamento empresarial;
  • folha de pagamento;
  • despesas;
  • balanços;
  • receitas.

A ideia de mudança completa, salvando essas informações em um servidor externo — que pode se encontrar em qualquer parte do mundo — realmente é capaz de assustar. Mas o fato é que, em termos de segurança, o armazenamento na nuvem traz maior confiabilidade do que qualquer hardware.

Devido à complexidade para se descobrir a localização do sistema, o risco de ataques ou invasões de hackers é muita baixa. O mesmo não se pode dizer quando a sua empresa utiliza servidores locais, ficando vulnerável para ataques internos e externos.

Além da maior proteção contra invasores, um sistema em nuvem também diminui o risco de perda de dados quando há falhas no servidor. Isso porque, caso um servidor não responda, há outros para compensar o trabalho.

Então, seja o seu orçamento empresarial ou mesmo planos estratégicos de crescimento do negócio, no armazenamento em nuvem todos dados estarão sempre seguros.

Quais os outros benefícios do armazenamento dos dados empresariais na nuvem?

Além da segurança já explicada no tópico anterior, o armazenamento em nuvem traz outros benefícios para as empresas. Confira, abaixo, alguns deles.

Redução de custos

Armazenar dados empresariais na nuvem pode reduzir os seus custos de diferentes maneiras. Primeiramente, a sua empresa acaba com a necessidade de uma infraestrutura própria: a quantidade de hardwares, softwares e equipamentos diminui consideravelmente.

Além disso, você fica menos exposto a erros e invasões. Ou seja, retrabalhos, desperdícios ou novas criações deixam de ser uma constante no seu negócio, evitando assim os gastos que são inerentes a essas situações.

Acessibilidade

A acessibilidade aqui é clara, tendo em vista que os dados empresariais podem ser acessados a qualquer hora e de qualquer lugar. Se no passado esse processo ficava restrito a escritórios e centrais da empresa, com essa tecnologia o panorama muda por completo.

A melhor parte é que nem há necessidade de treinamento ou especificações mais detalhadas. Hoje em dia, grande parte da população já acessa a internet facilmente de seus smartphones, tablets etc.

Produtividade

Se há maior acessibilidade, naturalmente há maior produtividade. Com todos os departamentos conseguindo acessar diferentes informações sobre estratégias e planejamentos da empresa, as equipes de trabalho não precisam ficar presas a protocolos ou burocracias.

Até mesmo os profissionais que estão em home-office ou em trabalhos externos podem desenvolver suas funções sem precisar se deslocar até a empresa. Da logística ao departamento financeiro: a produtividade de todos é impulsionada a partir do sistema.

Não é à toa que cada vez mais empresas adotam tecnologias compatíveis com o armazenamento em nuvem. Dados empresarias, como orçamento anual ou estratégias de compra e venda, são muito importantes e devem receber todo cuidado necessário. Mas é essencial contar com a participação de empresas especializadas em TI a fim de garantir o sucesso nessa nova toada tecnológica da sua empresa. Não fique para trás.

Gostou do artigo? Que tal agora entender como o Marketing e os dados podem transformar o seu negócio?

mercadoria perdida dicas

Mercadoria Perdida: qual é o real impacto para o cliente e para a sua marca?

Imprevistos podem acontecer a qualquer hora e em qualquer lugar. E dentro de operações logísticas não é diferente. No entanto, não há como negar que uma mercadoria perdida ou uma entrega em atraso podem fazer a sua empresa perder credibilidade com o seu cliente.

Por mais que o comprador saiba que contratempos existem, a verdade é que ele deseja receber o seu produto dentro do prazo combinado. Então, cabe a você trabalhar para garantir que os imprevistos impactem o mínimo possível a experiência do cliente.

Mas, quais os impactos reais de uma mercadoria perdida? E como reduzir essa negativa? Continue lendo e entenda mais sobre esses questionamentos. Boa leitura!

Quais impactos uma situação de mercadoria perdida pode trazer para a sua marca?

Uma experiência de compra só pode ser considerada completa quando o cliente passa por todas as etapas com sucesso — isso inclui a entrega da mercadoria e o pós-venda. Caso algum estágio não corresponda à expectativa, o serviço oferecido não se torna completo.

Quando qualquer contratempo acontece, como uma mercadoria perdida, por exemplo, a empresa acaba sofrendo consequências negativas. Quer saber quais? Confira alguns logo abaixo.

Perda de credibilidade

A primeira e óbvia consequência é a perda de credibilidade junto ao seu cliente. Como explicado, por mais que o comprador saiba sobre a possibilidade de imprevistos, uma mercadoria perdida é algo extremamente frustrante.

Ainda que não abandone a sua marca de vez, ele tende a se mostrar mais receoso em fazer novos negócios dentro de um curto espaço de tempo.

Reclamações formais

No Brasil, o Código de Proteção e Defesa do Consumidor respalda o comprador a acionar formalmente a empresa fornecedora de um produto ou serviço.

Ou seja, caso o cliente se sinta lesado em razão da mercadoria perdida, a sua empresa corre o risco de sofrer ações judiciais. E, independentemente do resultado, a sua marca sai arranhada quando esse tipo de situação acontece.

Diminuição de lucros

Se você perde a confiança do seu cliente e espaço no mercado, consequentemente, passa a vender menos. Em pouco tempo, os seus lucros caem e a sua empresa corre o risco de entrar em estado de alerta financeiro — uma “bola de neve iniciada” com uma mercadoria perdida.

Como ter um bom controle de cargas e garantir uma experiência completa para o cliente?

As consequências para uma mercadoria perdida são ruins para o cliente e para a sua empresa. Isso é um fato. Nesse sentido, a melhor forma de evitar um cenário negativo para o seu negócio é garantir um bom controle da sua carga e diminuir as chances de perdas e atrasos.

Conheça algumas dicas para ser bem-sucedido nesse objetivo.

Invista em tecnologia especializada

Se o risco de imprevistos é inerente a qualquer negócio, cabe a você trabalhar em alternativas que diminuam as probabilidades de isso acontecer. Uma ótima opção é o investimento em tecnologia especializada.

Com ferramentas modernas e pontuais, você garante acompanhamento da carga em várias etapas da cadeia de suprimentos, por exemplo:

As chances de perda de mercadoria diminuem consideravelmente. E caso isso aconteça, é possível agir com muito mais agilidade e eficiência, evitando prejuízos que impactem diretamente o seu cliente.

Utilize as embalagens adequadas para o transporte

Pode parecer algo óbvio, mas muitos imprevistos acontecem porque as empresas não se preocupam com a embalagem dos produtos para o envio.

Ainda que a embalagem não influencie diretamente para a perda da mercadoria, ela tem relação direta com avarias e danos indesejáveis nos produtos. No fim das contas, uma mercadoria perdida ou avariada é a mesma coisa para o cliente — ambas são frustrantes.

Por isso essa escolha deve ser feito sem negligência. Não vale a pena economizar. Invista em embalagens com qualidade e que sejam adequadas para acomodar corretamente os produtos, garantindo a integridade durante todo o trajeto de distribuição.

Trabalhe com parceiros eficientes

Para o cliente, o importante é que o produto chegue intacto e dentro do prazo. Sempre que isso não acontece, é a sua empresa que perde a credibilidade e o respaldo — não importa se o erro foi cometido por uma parceira terceirizada. Em outras palavras, para o consumidor, a marca que vende o produto é a mesma que entrega.

Então, se a transportadora é uma “extensão” da sua empresa, você deve se certificar que o padrão de qualidade seja o mesmo em todos os níveis. Para isso, forme parcerias com transportadoras com conhecimento de mercado e que apresentem um bom histórico de competência.

Uma transportadora com know-how no setor de entregas pode ser o ponto de mudança para o seu negócio, trazendo um novo desempenho e oferecendo ótimos diferenciais para o seu cliente, como rastreamento de carga e atualização de roteiro.

Enfim, a verdade é que não há nada mais desgastante para um cliente do que comprar um produto e não receber. Uma mercadoria perdida ou avariada é tudo o que ele não espera de uma empresa. Diante disso, cabe a sua marca investir em tecnologia e em parcerias eficientes para garantir uma experiência completa ao consumidor. Analise as dicas apresentadas e não perca espaço no mercado.

Gostou do artigo? Que tal agora entender mais como o pós-venda pode ajudar na retenção de clientes da sua empresa?

impostos no transporte

Impostos na Logística: Conheça os principais

Os impostos na logística seguem o mesmo padrão da carga tributária no Brasil: apresentam-se em grande quantidade e oriundos de diferentes órgãos. Não à toa, a nossa realidade tributária é considerada uma das mais pesadas do mundo.

De fato, se manter em dia com tantas taxas não é uma tarefa fácil. No entanto, em alguns casos, as empresas acabam onerando seus gastos simplesmente porque desconhecem quais tributos são obrigatórios ou por não se prepararem adequadamente no início de cada ano.

Mas, e você, sabe quais são os impostos na logística existentes no país? Para acabar com qualquer dúvida, a seguir, apresentaremos as principais taxas que incidem ao setor, além de dicas para que a sua empresa não passe dificuldades com a questão tributária. Boa leitura!

Quais os principais impostos na logística?

Como dito, quanto mais conhecimento sobre os impostos na logística, mais fácil será o planejamento da sua empresa para se manter em dia com as obrigatoriedades. Além disso, ao se familiarizar com as taxas do setor, você passa a ter maior controle sobre os seus gastos.

Confira, abaixo, os principais impostos na logística nacional, separados nas esferas municipais, estaduais e federais.

Imposto municipal

ISS – Imposto sobre Serviços

Como o próprio nome aponta, o ISS ou ISSQN (Impostos sobre Serviços de Qualquer Natureza) trata-se de uma taxa que todo prestador de serviço precisa pagar no âmbito municipal, seja empresas ou profissional autônomo — incluindo empreendimentos logísticos.

Não há uma definição sobre os custos, com as alíquotas podendo variar para mais ou para menos de acordo com a base de cálculo do município.

Imposto estadual

ICMS

Já na esfera estadual temos o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal (ICMS).

O ICMS não chega a ser um imposto exclusivo da logística ou da área de transporte, incidindo também em serviços de comunicações e em estabelecimentos que comercializam bebidas e produtos alimentícios.

As alíquotas das taxas também variam de acordo com o Estado. À exceção das operações interestaduais, que devem ter seus impostos fixados respeitando definições vigentes no consórcio entre os Estados.

Imposto Federal

IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados

A esfera Federal é onde se concentra o maior número de impostos na logística e de outros segmentos. O imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) é um dos mais comuns, atingindo um número grande de empresas — produtoras e não produtoras.

A apuração do IPI acontece de 10 em 10 dias e o pagamento deve ser realizado até o último dia útil do mês seguinte — se a produção for de bebidas ou de cigarros, a empresa deve cumprir com sua obrigatoriedade até o terceiro dia útil.

CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido

O CSLL é o imposto que diz respeito ao regime de tributação escolhido pela empresa. Geralmente, uma empresa logística se encaixa no Lucro Real ou Lucro Presumido — ainda existe o Simples Nacional como terceira opção.

A data de arrecadação também muda de acordo com o regime escolhido. Já a base de cálculo é feita considerando os ganhos da empresa.

Além desses tributos, o governo federal apresenta outros impostos que contemplam negócios e empreendedores de variados segmentos, por exemplo:

  • PIS/PASEP – Contribuição para os Programas de Integração e Formação do Patrimônio do Servidor Publico;
  • Cofins – Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social;
  • INSS – Contribuição para Previdência Social;
  • IRPJ – Imposto de Renda Pessoas Jurídicas.

Como diminuir os custos com os impostos na logística?

Como você pôde notar, não são poucos os impostos na logística. E, embora a sua empresa precise cumprir rigorosamente as obrigações, é possível trabalhar para diminuir o impacto desses custos. Quer saber como? Confira algumas dicas.

Mantenha-se atualizado com a legislação

Além de apresentar um número alto de impostos na logística, o Brasil é um dos países que mais apresentam alterações na legislação em um curto espaço de tempo.

Por essa razão, é essencial se manter atualizado em relação às leis — nem sempre o que está vigente este mês pode valer para o período seguinte, por exemplo. Caso contrário, você corre o risco de continuar pagando impostos que já nem são mais obrigatórios.

Opte pelo regime tributário correto

Muitos impostos têm o seu valor definido de acordo com o regime tributário escolhido pela empresa. Pode até parecer algo simples, mas a escolha errada nesse ponto é uma das principais causas para dificuldades financeiras em muitas instituições.

Faça uma análise com a ajuda de um especialista da área contábil e opte pelo regime mais adequado ao seu negócio. As opções são três:

  • Lucro Presumido;
  • Simples Nacional;
  • Lucro Real.

Conte com uma parceira para os serviços logísticos

Alguns dos tributos — em especial, os federais — se tornam mais onerosos quando a sua empresa é a geradora principal da atividade. Por exemplo, para os serviços de entrega e coleta de mercadorias você precisa contar com um número maior de funcionários e equipamentos.

Ao optar por esse caminho, o seu negócio automaticamente aumenta os gastos com taxas e impostos, como o PIS e o INSS.

Mas esse custo pode ser amenizado ao contratar uma empresa terceirizada — que fica responsável por fornecer colaboradores e veículos de maneira independente. Assim, você mantém um alto padrão nos serviços da sua empresa e, ao mesmo tempo, minimiza os valores com os tributos.

O fato é que não vale a pena arriscar. O setor logístico em si já exige alto investimento por parte qualquer empresa, não se preparar em relação aos impostos na logística pode trazer à tona uma situação bastante complexa para o seu negócio. Então, analise as dicas apresentadas e mantenha-se atualizado com a legislação brasileira.

Curta a nossa página no Facebook para conferir outros conteúdos interessantes.