Desperdícios logísticos que impactam na margem de lucro

Mesmo a logística sendo essencialmente um setor estratégico, em razão da alta exigência diária, muitos gestores acabam deixando passar desperdícios logísticos que impactam consideravelmente os lucros de suas empresas no final do mês.

Ainda que pareçam “corriqueiros”, esses fatores podem ser o fiel da balança entre o cumprimento de meta e o insucesso de um ciclo inteiro. Em longo prazo, essa repetição acaba trazendo consequências drásticas para o negócio.

Mas, você sabe quais são desperdícios logísticos mais comuns? Como evitá-los? Para entender melhor, confira a nossa postagem completa sobre o assunto.

Boa leitura!

Por que se atentar aos desperdícios logísticos?

O primeiro ponto que nenhum gestor jamais deve esquecer é que a logística é um setor custoso. Para que toda a operação funcione dentro de um padrão de qualidade é preciso mão de obra e grande aporte financeiro.

Ou seja, por si só, a logística é uma atividade que requer economia por parte do gestor e sua equipe de trabalho.

Fora esses gastos fixos, que abrange equipamentos, veículos, manutenção, combustível e pessoal, há outra questão inerente à logística que demanda máxima atenção de um gestor: o macroambiente.

Diferentemente de outras áreas mais restritas, a logística é fortemente afetada por fatores macroambientes. A começar pela escolha do modal: com pouco incentivo do governo em outros modais, as empresas acabam concentrando suas operações no transporte rodoviário.

O problema é que mesmo o modal rodoviário sofre com a precariedade de investimentos. O número de rodovias pavimentadas é muito baixo, e isso traz prejuízos com manutenção e custos elevados com combustível. Fora isso, a insegurança nas estradas cresce a cada ano.

Como essas são questões macroambientes, a sua empresa não tem poder de resolução, só tendo que se adaptar.

Então, uma boa maneira de diminuir o impacto negativo é identificando e solucionando desperdícios logísticos comuns durante as operações.

Quais os principais desperdícios logísticos?

Cada empresa tem o seu próprio modus operandi, por isso as falhas podem variar. Mas, há aqueles desperdícios logísticos que são comuns ao setor. Confira os principais.

Perda de tempo durante a coleta, carga e descarga

A logística é um dos setores onde o ditado “tempo é dinheiro” faz muito sentido. Um veículo ou equipamento parado por muito tempo pode, por exemplo, trazer um grande prejuízo no final da operação.

Mas, por incrível que pareça, um dos desperdícios logísticos mais comuns é justamente essa perda de tempo na hora de coletar, carregar ou descarregar produtos. Uma dificuldade bastante incômoda aos caminhoneiros.

Essa discussão é tão grande que o governo teve que criar uma norma para amenizar a situação. Segundo a Lei13.103/15, se um caminhão passar mais de 5 horas aguardando para carregar ou descarregar, o caminhoneiro ou a transportadora deve ser indenizado no valor de R$ 1,60 por tonelada/hora da capacidade total do veículo.

Mas, você pode diminuir o risco de perda de tempo criando um planejamento prévio de coleta e entrega. Faça agendamentos e sempre confirme a disponibilidade para a chegada do veículo na empresa de destino.

Atraso nas viagens

Outro prejuízo comum advindo de desperdícios logísticos é o atraso nas viagens dos veículos. Quando os caminhões demoram a chegar, há risco não só de morosidade operacional como também de cancelamento por parte dos clientes.

Claro que existe toda questão macroambiente de má infraestrutura das estradas, bem como, na insegurança diária, no entanto, muitas empresas acabam caindo no lugar comum e se esquecem de otimizar essa etapa da operação.

Para fechar essa “torneira” é importante criar rotas que facilitem a viagem do motorista. Com a obtenção de informações úteis, tanto por sites confiáveis quanto por histórico de viagens anteriores, você consegue montar um roteiro no qual o veículo não fique tão vulnerável à insegurança e consiga trafegar sem se expor a tantos problemas de infraestrutura.

Desempenho dos motoristas

Por mais que a sua empresa conte com veículos modernos e acima dos padrões de qualidade, os motoristas ainda são as principais peças na hora de transportar as mercadorias. Mas, muitos gestores ignoram isso e investem baixo na formação dos seus condutores. Assim, eles só aumentam seus desperdícios logísticos.

Além da questão financeira, pois todo profissional se sente bem quando é valorizado, é necessário trabalhar a evolução técnica dos motoristas. Quando não há essa preocupação, a empresa acaba tendo maiores gastos com:

  • consumo extras de combustível;
  • riscos jurídicos e de acidentes;
  • desgaste acelerado do ativo;
  • manutenções em excesso.

Sendo assim, garanta uma equipe bem preparada de motoristas. Comece já pela seleção de contratação e invista constantemente em cursos de aperfeiçoamentos.

Operação própria

Todos os desperdícios logísticos citados até o momento só aumentam os altos custos “naturais” do setor. Mas também há algo comum entre eles: os impactos negativos são maiores quando você trabalha com operação própria.

Compra de caminhões, contratação de motoristas, preocupação com coleta e entrega: todos esses fatores passam a ser preocupação de outra empresa quando você opta pela terceirização da sua logística.

Já falamos aqui que a logística é o setor estratégico. E não há nada mais estratégico do que repassar as etapas mais complexas e onerosas para uma especialista, deixando a sua empresa apenas como avaliadora do serviço. Além de uma iniciativa segura, a terceirização representa ótimo custo-benefício.

Enfim, secar ou diminuir a torneira dos desperdícios logísticos é papel central do gestor. Como principal líder da área, ele tem obrigação de garantir a produtividade operacional ao menor custo possível. Nesse sentido, analise as dicas apresentadas e implemente maneiras eficientes de melhorar os resultados da sua empresa.

Não saia agora. Continue no nosso blog e conheça 5 dicas para a sua evolução como gestor logístico.

dicas de planejamento logístico

Planejamento Logístico 2021: Por onde começar?

Embora 2020 tenha sido um ano complicado, no mundo corporativo ele serviu para mostrar o quanto um trabalho prévio é essencial para qualquer negócio. Empresas que estavam mais preparadas tecnologicamente e estrategicamente conseguiram sobressair às demais. Por isso, para 2021, mais do que nunca, um bom planejamento logístico tende a fazer muita diferença.

O fato é que diante das incertezas que ainda pairam no ar, como possíveis novas restrições, a logística da sua empresa precisa ser mais estratégica. Não basta seguir o “básico” no próximo ano, é preciso estabelecer uma logística mais prática, mais alinhada às expectativas dos usuários.

Quer saber como fazer isso e por onde começar o seu planejamento logístico 2021? Então, continue lendo e confira as nossas dicas.

Boa leitura!

Por que um ótimo planejamento logístico é fundamental para 2021? O que mudou?

Até o momento do lançamento deste post, o Brasil e o mundo está vivendo um “novo normal”, uma rotina onde há limitações para pessoas frequentarem o mesmo lugar, onde a utilização de álcool em gel deve ser constante, entre outras coisas.

Pode ser que esse “novo normal” acabe no primeiro dia de 2021, mas ele também pode perdurar por anos ou décadas. De fato, não há como saber.

A única certeza é que, independentemente do cenário, o mercado não deixará de ser competitivo. E o ano de 2020 serviu de “teste” para que muitas empresas criassem novas estratégias e diferenciais para suas marcas.

Por exemplo, para se alinhar às necessidades do público diante de tantas restrições, a Amazon e a Walmart desenvolveram técnicas para realizar entregas ainda mais rápidas e baratas – chegando a gerar uma “pequena guerra” entre as duas empresas nos Estados Unidos.

É claro que para megacorporações é fácil criar saídas diante das dificuldades, mas o nível de acerto delas também está ligado à criação de planejamentos completos e inteligentes.

Mesmo com uma empresa mais modesta, em comparação à Amazon, você pode fazer muito mais em 2021. O planejamento logístico é justamente o que lhe dará suporte para reduzir os custos operacionais e, gradativamente, melhorar a velocidade de entrega dos produtos.

Por onde começar o seu planejamento logístico para 2021?

Outra certeza que podemos ter neste momento é que o planejamento logístico de 2021 não pode ser o mesmo de 2020. Até o ano passado, mesmo com algumas crises econômicas e políticas, as mudanças não eram tão substanciais. Você sempre sabia que era necessário aperfeiçoar a equipe de trabalho e melhorar o atendimento ao cliente.

Claro, esses fatores ainda são importantes. Mas o mundo mudou muito em pouco tempo. A “guerra” entre Walmart e Amazon não foi à toa. Os planejamentos logísticos em 2021 devem priorizar a agilidade e a qualidade dos serviços logísticos.

Mas, por onde começar? Confira as nossas dicas.

Armazenagem e estoque

Como explicado, o planejamento logístico para 2021 precisa ser muito mais estratégico. Diante disso, a armazenagem de produto deve ser trabalhada a fim de facilitar ao máximo o processo logístico.

É preciso fazer perguntas como: vale a pena manter um estoque alto em 2021 ou um estoque rotativo está mais alinhado à realidade atual? Como eu posso diminuir o desperdício de mercadorias durante o armazenamento?

Outro item a ser adicionado ao planejamento logístico em relação ao estoque é um posicionamento que possibilite uma saída mais rápida dos produtos, favorecendo o dinamismo das próximas etapas. Aproveite o ano de mudanças para fazer esse tipo de alteração.

Parceiros de transporte

Se a agilidade será um fator essencial no próximo ano, então a definição dos seus parceiros de transporte deve ser prioridade no planejamento logístico de 2021.

Você deve começar avaliando o trabalho dos transportadores em 2020. Analisar o resultado de medidores de desempenho como cumprimento de prazo, avaria de mercadoria, disponibilidade de equipamentos etc.

A partir daí é preciso entender quais se encaixam no “novo normal” logístico, onde as exigências de agilidade e qualidade nas entregas serão muito maiores.

Por fim, alinhe os contratos com aqueles que permanecerão ou busque parceiros que demonstrem capacidade para superar as novas expectativas.

Tecnologia

Uma entrega mais rápida não se faz apenas com caminhões novos e uma armazenagem inteligente, não é mesmo? Você precisa de ferramentas tecnológicas que facilitem o processo, economizem tempo de operação e reduzam os custos – afinal, mesmo não sendo citado diretamente, o controle de custos é um fator inerente a qualquer planejamento logístico.

Esse é mais um ponto que você, como gestor, deve adicionar na hora de escolher novos parceiros logísticos. É importante que as transportadoras sejam adeptas à inovação e tecnologia, possibilitando, por exemplo, que a sua empresa consiga acompanhar o trajeto de entrega e repassar as informações para os clientes.

É claro que a tecnologia também deve estar presente na sua própria empresa. O planejamento logístico precisa ser pensado para um ambiente mais capacitado tecnologicamente, com sistemas de gestão e máquinas que otimizem a rotina operacional.

Enfim, não se deixe enganar pelo cenário de 2020. Enquanto você fica parado diante das incertezas, a concorrência já cria e define um planejamento logístico mais alinhado com as necessidades dos clientes. Então, analise as nossas dicas e garanta um 2021 mais forte e competitivo para a sua marca.

Gostou do artigo? Continue no nosso blog e entenda mais sobre outra tendência para o próximo ano: a logística verde.