vendas e logística ecommerce

Vendas no E-Commerce: Entenda a relação da tecnologia e experiência

Enquanto a maior parte dos setores do mercado sofreu com a pandemia do Coronavírus, as vendas no e-commerce apresentaram um crescimento considerável no ano de 2020. Segundo pesquisa da Worldpay from FIS, o setor aumentou o seu volume de negociações em quase 75%.

O mesmo estudo concluiu que em 2024, as vendas no e-commerce atingirão um faturamento próximo a 315 bilhões de reais. Números impressionantes, mas que, segundo especialistas, não podem ser interpretados de maneira equivocada.

Para os especialistas, o cenário favorável pode passar a impressão de que basta abrir um comércio virtual para vender altas quantias mensalmente. Um ledo engano. Segundo eles, bons números de vendas no e-commerce estão ligados à experiência que você entrega ao cliente e nas inovações disponibilizadas no dia a dia.

Quer entender mais sobre o assunto? Então, continue lendo e saiba como a tecnologia e a experiência do cliente impactam nas vendas do seu e-commerce.

Boa leitura!

Por que sem trabalhar a experiência do cliente as vendas no e-commerce tendem a ser baixas?

Os números de vendas no e-commerce nos últimos anos são realmente impressionantes, não há como negar. Se em um passado recente as lojas virtuais eram vistas apenas como suporte para os estabelecimentos físicos, hoje elas já representam quase metade do lucro de muitas empresas.

No entanto, contar com um e-commerce não é garantia de aumento de venda. Afinal, o atual e cenário positivo não aconteceu de forma aleatória. Além de ser impulsionado pelas consequências impostas pela pandemia, como fechamento obrigatório das lojas físicas, o aumento das vendas no e-commerce foi fruto de um trabalho bem construído pelas empresas.

O customer experience (experiência do cliente) foi estrategicamente trabalhada nesse período, com as marcas investindo na melhoria de fatores que impactam diretamente na experiência dos consumidores, como logística, tecnologia, atendimento, entre outros.

Por exemplo, segundo o Procon, o atraso na entrega das mercadorias é a principal reclamação dos clientes em relação às lojas virtuais. As empresas que não trabalharam esse fator, certamente não conseguiram faturar bem neste período.

Por outro lado, aquelas que identificaram a dificuldade e trabalharam para garantir uma experiência completa para os seus clientes, sem dúvida, não só aumentaram o lucro, como também impulsionaram a taxa de fidelização de usuários.

Quais os pilares das vendas no e-commerce?

Para aumentar as vendas no e-commerce, você precisar trabalhar os 5 pilares que sustentam esse tipo de negócio, são eles: Tecnologia, Serviço de Atendimento, Pagamento, Logística, Marketing Digital. Todos devem funcionar dentro do mesmo padrão, do contrário, dificilmente a sua loja atingirá bons patamares. Vamos conhecê-los em detalhes.

Tecnologia

A relação da tecnologia com a experiência do cliente no e-commerce é bastante óbvia, afinal, sem um suporte adequado que coloque o site no ar e ofereça as funcionalidades necessárias, o usuário sequer conseguirá acessar a loja virtual.

Porém, para se destacar não adianta oferecer o básico. Manter o site estável é obrigação, você também precisa investir em soluções que facilitem a navegação e otimizem outras etapas importantes como separação de pedido e rastreio de mercadoria.

Serviço de Atendimento ao Consumidor

O que é um e-commerce sem um bom serviço de atendimento? Apenas um site aleatório, não é mesmo? É a interação que você oferece e a agilidade nas respostas que trazem a perspectiva do cliente em relação à sua loja virtual.

Diferentemente do que muitos podem pensar, o Serviço de Atendimento ao Consumidor deve ser o ponto alto de e-commerce, até mesmo para passar confiança e credibilidade ao consumidor no momento da compra.

Pagamento

Imagine passar por toda jornada de compra e, na hora do pagamento, você simplesmente não conseguir finalizar o processo. Por incrível que pareça, muitos clientes ainda passam por isso em algumas lojas virtuais. Justamente no momento mais importante para o e-commerce, a empresa não consegue facilitar a vida do consumidor.

É por isso que o “Pagamento” é um dos pilares de toda loja virtual e deve sempre estar em pauta para melhoria. É preciso ter em mente que esta etapa deve ser simples, estável e transparente.

Logística

A logística é o braço forte do e-commerce, pois sem ela é impossível realizar processos como compra, venda e distribuição. E, como vimos, ela também é capaz de resolver algumas das principais reclamações dos clientes de lojas virtuais, como atrasos e trocas dos produtos.

Nesse sentido, cabe a você garantir a participação de parceiros especialistas na execução das etapas logísticas. Coleta, troca, distribuição, embalagem, entre outros: toda operação precisa estar em alto padrão de qualidade.

Marketing Digital

Não é porque você tem uma loja na internet que surgirão clientes de forma mágica. Você precisa apresentar a sua marca e atrair um público qualificado para a sua loja. E, isso, é possível através do Marketing Digital.

O Marketing Digital é o trabalho de comunicação que você realiza para atrair e fidelizar clientes. Ações em redes sociais, sites, blogs, e-mails são algumas das iniciativas que o seu e-commerce tomará a partir do Marketing Digital para atração de público. Quanto maior o volume de visitas no site, maior tende a ser o número de vendas.

Enfim, considerando esses pilares e fazendo a sua parte para otimizá-los diariamente, a tendência é de crescimento nas vendas no e-commerce. O cenário é favorável, e você precisa fazer a sua parte para aproveitá-lo o máximo possível.

Gostou do artigo? Continue no nosso blog e conheça agora 3 tendência para o e-commerce no pós-pandemia.

logística verde e-commerce

Logística sustentável: O diferencial competitivo para e-commerces

Se no passado temas como a logística sustentável eram pouco discutidos, hoje a realidade é bem diferente. O conceito de sustentabilidade está em voga, e os empreendedores de e-commerce estão sendo cada vez mais cobrados por uma atuação mais firme em relação ao tema.

Um estudo feito pela consultoria Grant Thornton Brasil, por exemplo, indicou que grande parte do empresariado brasileiro define como essencial o trabalho de políticas e indicadores Ambientais, Sociais e de Governança (ESG) nos negócios atualmente.

Para eles, esse tipo de visão traz maior credibilidade para as empresas e ajuda na fidelização de clientes. É uma pauta que não pode mais ficar fora dos planos de proprietários e gestores.

Mas, o que é a logística sustentável? Qual a sua importância? E quais são as vantagens de trabalhá-la no seu e-commerce? Para responder essas e outras perguntas, preparamos este artigo especial sobre o assunto. Confira.

Boa leitura!

O que é logística sustentável e qual a sua importância?

A logística sustentável é um tema relativamente novo, pois, ainda que a discussão sobre o papel das empresas na sociedade seja antiga, somente nos anos recentes a questão da sustentabilidade se tornou realmente relevante.

Basicamente, o conceito defende um equilíbrio do trabalho da logística, em que as empresas consigam, ao mesmo tempo, otimizar os processos e corresponder às expectativas dos clientes, e evitar o desperdício de recursos a fim de diminuir os impactos ambientais.

Em outras palavras, a logística sustentável é aquela que tem a sua rotina de trabalho calcada nas políticas e indicadores Ambientais, Sociais e de Governança (ESG). Um conceito desafiador para as empresas, mas de suma importância no nosso momento atual.

A relevância da logística sustentável pode ser entendida justamente pela pesquisa realizada pela consultoria Grant Thornton Brasil. Muito além das questões ambientais, que são de grande importância, o conceito sustentável é extremamente bem-visto pelo cliente atual.

Em tempos de redes sociais e fácil e acesso à informação, o cliente passou a exigir outros fatores além do preço em relação aos produtos e serviços das empresas. Marcas que não se posicionam e não demonstram um trabalho mais sério em termos de sustentabilidade, acabam sendo preteridas por outras que caminham na direção oposta.

Ao trabalhar a logística sustentável, o seu e-commerce consegue:

  • Diminuir o impacto financeiro do desperdício de materiais;
  • Maior credibilidade junto ao mercado e clientes;
  • Amenizar os impactos ambientais.

Como o seu e-commerce pode implementar a logística sustentável?

Por ganhar cada vez mais espaço, batendo recordes de lucro anualmente, o setor de e-commerce também vem sendo cobrado por uma atuação mais firme na pauta de sustentabilidade. O mercado pede que a ideia do “virtual” não impeça que as marcas façam a sua parte para diminuir o impacto do seu trabalho no mundo real.

Mas, como o seu e-commerce pode implementar a logística sustentável? Confira as nossas dicas.

Inclua no planejamento da empresa

O primeiro passo para trabalhar a logística sustentável é garantir que ela não fique só na teoria e seja incluída, de fato, no planejamento do e-commerce. Isso significa que metas precisam ser definidas com antecedência e cronogramas criados com alinhamento ao sustentável.

Garanta a participação de todos

Uma grande mudança no modus operandi do seu e-commerce não acontecerá de maneira real sem a participação de todos. Os líderes de equipe precisam entender bem sobre o tema e mostrar aos demais a importância de trabalhá-lo no dia a dia.

Além disso, ainda que seja um e-commerce de médio porte, é interessante trabalhar informativos reforçando a mensagem sobre a sustentabilidade – podendo ser virtuais mesmo, como e-mail, mensagens por aplicativo etc.

Invista em embalagens inteligentes

Um dos principais resíduos sólidos que a maior parte dos e-commerces gera é a embalagem. Plásticos, papelão, vidro, entre outros: muito material que acaba não sendo aproveitado e para indevidamente na natureza.

Além de um trabalho sério com a logística reversa, uma forma de diminuir esse impacto negativo é trabalhando com embalagens inteligentes, itens recicláveis e retornáveis que facilitem a coleta e ainda incentivem o consumidor a fazer a devolução.

Conte com uma transportadora especialista

O trabalho para uma logística sustentável deve começar no seu e-commerce e apresentar continuidade com os seus parceiros, principalmente com a transportadora.

O principal player que faz a coleta e a distribuição das suas mercadorias precisa estar alinhado com o conceito de sustentabilidade, trabalhando dentro das mesmas metas e investindo em ações para a otimização do transporte, por exemplo:

  • elaboração de rotas mais eficientes;
  • manutenção correta dos veículos;
  • treinamento da mão de obra.

O seu dever é encontrar o parceiro mais adequado nesse sentido, garantindo que a mudança em toda operação logística seja real.

Enfim, esses foram os pontos mais importantes sobre a logística sustentável. Tenha em mente que se trata de um fator extremamente relevante para o mercado e clientes, por isso, ainda que demande algumas mudanças por parte do seu e-commerce, os benefícios em médio prazo tendem a ser bem interessantes para a sua marca.

Gostou do artigo? Continue no nosso blog e saiba agora como preparar a logística da sua empresa para datas comemorativas.

automação logística

Automação Logística: Benefícios da digitalização na pandemia

As consequências da pandemia, como medidas sanitárias e isolamento social, não foram sentidas apenas no dia a dia da sociedade. Os setores corporativos também tiveram que se adaptar, criando ou acelerando ações nesse espaço de tempo como foi o caso da automação logística.

O movimento de automação logística não se iniciou na pandemia, mas certamente foi acelerado por causa dela. Em razão do isolamento e do fechamento de muitas lojas físicas, a comunicação passou a ser basicamente de forma digital. Isso “obrigou” que os outros processos de uma operação logística também abraçasse o digital.

Mas, o que é realmente uma automação logística? Quais seus benefícios? E quais soluções foram criadas ou fortalecidas durante a pandemia? Para saber mais, continue lendo e confira a nossa postagem completa sobre o assunto.

Boa leitura!

O que é automação logística?

A logística em si sempre foi um setor bastante adapto à inovação. Em razão dos grandes volumes a serem manuseados, sempre foi necessária a criação de ferramentas que pudessem fazer o trabalho mais pesado.

Porém, a automação logística não é simplesmente a aquisição de equipamentos para carregar e descarregar caminhões. O conceito de automação está muito ligado ao uso da tecnologia a fim de agregar valor real ao dia a dia de uma empresa, trazendo otimizações que não seriam possíveis de outra forma, por exemplo:

  • comunicação mais qualificada durante o deslocamento dos veículos;
  • minimização dos erros na separação de mercadorias;
  • facilidades na realização de inventários;
  • controle de estoques automatizado.

Quais os benefícios da automação logística?

Duas das principais reclamações dos clientes em relação à logística das empresas são a comunicação defasada e o atraso nas entregas. Dois fatores que constantemente aparecem no topo de órgãos de proteção ao cliente como o Procon.

Por sua vez, a automação logística ajuda a resolver ou minimizar ambas as situações. Com um sistema de gestão, por exemplo, você consegue controlar toda entrada e saída de mercadorias e agilizar todo o processo de separação até o envio da mercadoria.

Já com um sistema de rastreio e aplicativos de comunicação você consegue saber exatamente onde o veículo de transporta se encontra e repassar as informações em tempo real ao cliente.

Ou seja, além de aperfeiçoar fatores-chave da sua logística, a automação ainda é capaz de melhorar a satisfação do seu cliente. Em médio prazo, você aumenta a credibilidade da sua empresa e atrai novos consumidores.

Quais soluções já são utilizadas no dia a dia?

Para entender ainda mais os benefícios da automação logística, nada melhor que conhecer algumas soluções que já são utilizadas atualmente.

Sistema de gestão

Podemos dizer que o sistema de gestão é o grande símbolo da transformação digital. Pois, a partir desta única ferramenta, você consegue controlar diferentes processos dentro do setor logístico. Entradas, saídas, volumes, vencimentos, entre outros: com o sistema de gestão o seu gerenciamento se torna muito mais fácil.

Equipamentos de Rastreio

Surpresas indesejadas ou tomadas de decisão por “pura intuição” não cabem mais na logística moderna. E graças a tecnologias como o rastreamento de mercadoria você não precisa mais ficar no passado. Com esse importante recurso a sua empresa sempre saberá onde se encontra a mercadoria e poderá trabalhar em cima de informações repassadas em tempo real.

Leitura digital

Imagine quanto tempo se perdia quando a conferência das mercadorias era feita pela leitura das notas fiscais e análise presencial? Não à toa muitos pedidos eram enviados e entregues atrasados. Com a leitura digital tudo é otimizado, pois a conferência é realizada a partir de leitores de código de barras ou QR code.

Aplicativos de comunicação

Além da tecnologia de rastreio, uma solução que fez muita diferença para a logística durante a pandemia foram os aplicativos de comunicação. Softwares instalados diretamente nos celulares que servem tanto para a comunicação entre empresa e cliente quanto para motorista e empresa. Uma forma prática e eficiente de manter todas as partes atualizadas.

Enfim, o salto em automação logística durante a pandemia foi muito grande, e isso com certeza trará mais qualidade e competitividade para o setor. Porém, é importante ficar atento, pois não basta que a sua empresa adote as novas soluções, parceiros como transportadoras e fornecedores devem seguir o mesmo padrão inovador. Afinal, os clientes sempre esperam o melhor em todas as etapas.

Gostou do artigo? Continue no nosso blog e saiba agora como preparar a sua logística para datas comemorativas.

logística para ecommerce

Experiência do consumidor no e-commerce

O e-commerce no Brasil cresceu de maneira tão incrível que mesmo durante a crise do coronavírus em 2020, o setor aumentou o faturamento em 56,8%. E um dos fatores que ajuda a explicar os bons números é o melhor cuidado que muitos empreendedores passaram a ter com a experiência do consumidor no e-commerce.

No entanto, enquanto alguns colhem bons frutos com esse novo direcionamento, ainda há muitas lojas virtuais atrasadas no tratamento com o cliente e amargando resultados muito aquém de suas possibilidades.

Se este é o seu caso, não se preocupe, neste artigo abordaremos os pontos mais importantes sobre a experiência do consumidor no e-commerce e mostraremos como você pode desenvolvê-la na sua loja. Confira.

Boa leitura!

O que é a experiência do consumidor no e-commerce?

Quando falamos de experiência do consumidor no e-commerce estamos nos referindo a todo contato que o cliente tem com a sua loja virtual durante o processo de compra, desde a primeira pesquisa sobre o produto até o pós-venda.

Neste conjunto de ações, a experiência do consumidor é formada pelas impressões que ele tem em cada estágio do processo. Ou seja, não adianta oferecer um primeiro atendimento de qualidade e não cumprir com o prazo de entrega, por exemplo. O nível do serviço deve ser o mesmo até a conclusão do pedido.

O sucesso da experiência do consumidor no e-commerce é o que fará ele comprar outras vezes e ainda promover a sua marca de maneira espontânea para parentes e amigos nas suas redes sociais.

Da mesma forma, uma eventual ineficiência da sua loja virtual em entregar uma experiência completa pode acarretar na perda do cliente e em críticas à sua marca nas redes sociais.

Como trabalhar a experiência do consumidor no e-commerce?

O primeiro ponto que você deve entender é que para trabalhar corretamente a experiência do consumidor no e-commerce é preciso colocá-lo no centro da sua estratégia.

Sim, antes de qualquer decisão você deve analisar de que maneira ela impactará a vida do seu consumidor. Seja uma mudança simples no site ou uma troca da transportadora, o cliente sempre deve ser considerado.

Outro detalhe primordial é conhecer por completo o seu consumidor. Necessidades, dificuldades, produtos mais pesquisados, entre outros: tudo que envolve o seu cliente deve estar bem claro para todos os profissionais do e-commerce. Esse tipo de alinhamento permitirá que as expectativas sempre sejam superadas.

Com uma gestão centrada no cliente e com informações sobre suas preferências, você já tem um cenário favorável para trabalhar corretamente a experiência do consumidor no e-commerce. Em seguida, você deve seguir passos que facilitem a jornada de compras gradativamente, tais como:

  • Investir em um site responsivo e intuitivo;
  • Se atentar ao tempo de carregamento;
  • Repassar sempre informações claras;
  • Oferecer atendimento humanizado;
  • Cuidar da segurança do seu site;
  • Entregar conteúdos relevantes;
  • Interagir nas redes sociais;
  • Investir em omnichannel.

O desafio da logística no e-commerce

Além de todos esses pontos, um fator que não pode passar despercebido para a melhoria da experiência do consumidor no e-commerce é a logística. Afinal, o cerne de uma loja virtual é possibilitar que o cliente adquira um produto e o receba diretamente em casa dentro de um prazo determinado.

Porém, é justamente nesta questão tão importante que se encontra o maior desafio para muitos gestores. Fazer logística em um país com dimensões continentais como o Brasil e garantir que pequenos volumes cheguem a regiões mais afastadas dentro da expectativa do consumidor não é tarefa simples.

Além disso, é uma etapa que envolve custos como aquisição de veículos, contratação de mão de obra, manutenção, combustível, impostos etc. Dependendo do tamanho do seu e-commerce, grande parte dos recursos acabará ficando só para a logística.

No entanto, tudo muda quando você opta pela terceirização logística, a estratégia que lhe permite direcionar a responsabilidade de movimentação dos produtos para uma transportadora especialista.

Com a terceirização o desafio da logística é praticamente superado. Além de assegurar um transporte de qualidade e eficiência, o seu e-commerce pode avaliar o desempenho com mais imparcialidade, garantindo que a etapa de entrega alcance, de fato, as expectativas do seu cliente.

Enfim, em um momento em que quase tudo é feito de forma on-line, focar na experiência do consumidor no e-commerce deve ser visto como um trabalho imprescindível. Afinal, é o seu dever assegurar que todo contato com a sua empresa seja memorável e que este cliente esteja ao lado da sua marca por muitos anos.

Gostou do artigo? Continue no nosso blog e conheça agora 6 dicas para criar um processo de entrega eficiente na sua loja online.

sistema erp na área logística

Sistema ERP: Entenda a necessidade de implementar esse sistema

Há alguns anos, a rotina da maior parte das empresas era com planilhas, blocos de notas e pilhas de documentos guardados em diferentes lugares. Uma realidade que certamente atrapalhava a produtividade das equipes. Mas, a evolução tecnológica chegou e hoje temos o sistema ERP para ajudar.

Basicamente, o sistema ERP revolucionou o mundo corporativo. Uma solução que permitiu trocar toda aquela “desorganização” por uma ferramenta segura e inteligente. E os benefícios não se resumiram à melhor organização dos processos, as vantagens da tecnologia vão muito além – inclusive para a logística.

Para mostrar o quanto um sistema ERP pode otimizar o trabalho da sua empresa, preparamos este artigo abordando alguns dos pontos mais importantes sobre o assunto.

Boa leitura!

O que é um sistema ERP?

ERP é a sigla para Enterprise Resource Planning, um sistema de gestão inteligente que integra diferentes processos e setores de uma mesma empresa. A partir dessa única ferramenta, é possível compartilhar informações sobre áreas como:

  • Recursos Humanos;
  • Contabilidade;
  • Financeiro;
  • Compras;
  • Logística;
  • Vendas;
  • Fiscal.

Isso acontece, pois um ERP funciona com diferentes módulos, em que cada um corresponde a um setor ou processo específico. E mesmo funcionando de forma independente uns dos outros, os módulos podem “conversar” entre si e compartilhar dados.

Um sistema ERP completo é composto por 3 camadas:

  • Interface: parte do sistema visível aos usuários;
  • Processamento: corresponde aos comandos realizados pelo usuário;
  • Armazenamento: parte em que os dados são guardados com segurança.

Quais são os benefícios da utilização de um sistema ERP?

Como dito na introdução, um sistema ERP é capaz de trazer muito mais vantagens além da organização de processos. Confira abaixo alguns dos principais benefícios.

Facilita a tomada de decisão

Com um sistema ERP dentro da sua empresa você acaba de vez com as decisões tomadas a partir de “intuições” ou “achismos”. A ferramenta é capaz de munir os gestores com dados em tempo real, trazendo informações seguras e completas.

Isso torna a tomada de decisão muito mais simples, sem risco de duplicidade, conflito ou ruídos de comunicação. Até mesmo eventuais mudanças de cursos são mais fáceis de tomar com as informações fornecidas pelo ERP.

Torna as rotinas mais fluidas

Por permitir o compartilhamento instantâneo de informações, o sistema ERP deixa a comunicação interna muito mais fluida. Ainda que cada setor se atente ao seu módulo individual, os dados de outros departamentos ficam disponíveis para consulta.

Dessa forma, não há mais necessidade de se interromper rotinas para uma comunicação específica – por exemplo, o Setor de compras com o setor Financeiro. Bastam alguns cliques para que dúvidas sejam tiradas ou decisões sejam tomadas.

Reduz os custos

Sim, para implementar um ERP na sua empresa você precisa realizar um investimento inicial. Mas, analisando os benefícios citados, fica claro que se trata de uma implantação de ótimo custo-benefício.

O primeiro ponto, já dito na introdução, é que você dispensa a compra de outras ferramentas aleatórias para manter o controle de processos. Além disso, o sistema ERP acaba com ruídos de comunicação, diminuindo as chances de falhas humanas, retrabalhos e desperdícios.

Com o tempo, todos esses gastos deixam de pesar no seu caixa financeiro e os setores só tendem a crescer em produtividade.

Como o sistema ERP otimiza os processos de transporte da empresa?

Ainda hoje, há quem acredite que sistemas ERPs são voltados apenas para setores focados no administrativo, não sendo indicados para áreas como a Logística. Um ledo engano!

Como você pôde notar, trata-se de uma tecnologia que age em diferentes áreas de uma empresa, seja mais administrativa ou operacional. A logística não fica fora desse cenário, tendo etapas como o transporte sendo otimizadas.

Basicamente, a comunicação direta que o ERP permite entre os setores traz maior respaldo para decisões da logística. Por exemplo, o gestor logístico pode analisar os processos do setor financeiro e avaliar qual a melhor decisão a se tomar em relação ao transporte da empresa.

Se o fluxo financeiro atual não comporta mais uma frota própria, o gestor logístico já pode trabalhar em uma terceirização do serviço, diminuindo o peso em cima do financeiro da empresa. E esse é apenas um exemplo, a partir de dados seguros, a logística tende é muito mais efetiva no dia a dia.

Enfim, sem dúvida, o sistema ERP é o tipo de estratégia que só traz benefícios para a sua empresa. A implementação da ferramenta representa uma otimização que dificilmente será alcançada de outra forma. Por isso, da Logística ao Financeiro, invista em um ERP completo e aumente a performance das suas equipes.

Gostou do artigo? Ficou com alguma dúvida? Deixe o seu comentário.

inovações e tendências logistica 2021

Inovação Logística: Tendências e novas soluções do setor

Em 2021, provavelmente, os problemas de infraestrutura de transporte no país ainda não serão resolvidos. Porém, isso não significa que o setor não evoluirá significativamente. A inovação logística para os próximos meses se concentrará na tecnologia e em ideias inteligentes.

A transformação no setor é um processo inerente à nossa realidade. E quanto mais a tecnologia evolui, maior é o número de soluções e ideias que surgem para a logística. Elas são importantíssimas para que as empresas cresçam, superem as dificuldades ainda existentes em termos de infraestrutura e entreguem serviços de qualidade para os clientes.

Por isso, para que a sua empresa continue em alta neste novo ano, preparamos este artigo com as principais tendências e ideias da inovação logística de 2021. Continue lendo e confira.

Boa leitura!

Inovação logística 2021: rastreamento de navios

O rastreamento de caminhões hoje não é mais nenhuma novidade. O diferencial já é oferecido por inúmeras empresas logísticas, sendo um dos fatores irrevogáveis de compra para vários clientes.

A grande questão é o acompanhamento da mercadoria quando ela precisa atravessar o oceano. Manter o cliente atualizado durante essa transição ainda se mostra um grande desafio. Mas isso pode mudar em 2021.

Uma empresa europeia, que tem presença no mundo todo, criou uma plataforma para que esse rastreamento seja possível. Além de fazer o acompanhamento quando a operação está acontecendo, o software permite que clientes realizem cotações de fretes por navio a fim de encontrarem o melhor preço.

Inovação logística 2021: entregas de última milha

Em razão de infraestruturas obsoletas, muitas cidades já não conseguem comportar o volume de veículos que circulam diariamente em suas ruas e avenidas. E por apresentarem um tamanho extenso, caminhões de entrega têm ainda mais dificuldade para trafegar livremente.

Esse cenário é uma das razões para que algumas entregas atrasem justamente na “última milha”, feito dentro das cidades, próximas ao consumidor final.

A cada ano as empresas vêm se preparando para resolver esse ponto em questão. Em 2021 a tendência é que esse trabalho seja ainda mais bem-sucedido, com os gestores logísticos investindo mais em veículos pequenos ou utilizando aplicativos que focam justamente na resolução da entrega de última milha.

Inovação logística 2021: ponto de coleta

Outro desafio que tende a ser superado em 2021, e que sempre trouxe muita dor de cabeça para empresas de transporte, é a alta taxa de insucesso de entrega.

No novo ano, essa taxa pode ser resolvida com uma ideia simples e inovadora: a implementação de pontos de coleta em locais estratégicos. Uma ação que já existe e funciona atualmente, mas tende a ganhar força em 2021.

O intuito é espalhar pontos de retirada pela cidade, colocando as mercadorias em cofres inteligentes com câmeras de monitoramento, gavetas individuais e leitores QR code. Assim, a entrega fica à disposição do cliente, que pode acessá-la no momento mais conveniente. Alguns locais em que esses “cofres” podem ser implementados são:

  • Base das transportadoras;
  • Supermercados;
  • Shoppings.

Inovação logística 2021: parceria maior entre empresas e autônomos

Outro gargalo comum na logística nacional é a defasagem de caminhões em épocas de pico para o setor. Muitas vezes, empresas e transportadoras contam com frotas próprias, mas que ainda não são suficientes para atender o mercado em datas de maior apelo comercial.

Uma ótima inovação logística para resolver essa situação é maior aproximação entre empresas e caminhoneiros autônomos. Outra prática que também já é realidade, mas que tende a crescer em 2021.

Essa parceria pode acontecer, ou se fortalecer, tanto por iniciativa própria das empresas, oferecendo benefícios e condições diferenciadas para autônomos, quanto por meio de aplicativos que ligam o caminhoneiro ao embarcador.

Quem ganha com isso é o cliente, que difícil sofrerá com a falta de profissionais para realizar as entregas com mais rapidez e qualidade.

Inovação logística 2021: entrega com drones

Mesmo ainda soando como algo futurístico para algumas pessoas aqui no Brasil, a entrega por drones já se mostra corriqueira em cidades da Europa e Estados Unidos. Para nós, a inovação logística está justamente no fortalecimento da ideia em 2021.

Não que algumas empresas já não o façam aqui no país, a empresa MyView, por exemplo, já realiza delivery com robôs terrestres e drones. Mas o crescimento do mercado é uma tendência, e certamente muitos empreendedores nacionais abraçarão a ideia neste novo ano.

Enfim, a inovação logística estará a todo vapor em 2021, com soluções que podem ser utilizadas por empresas de todos os tamanhos. Independentemente da estratégia escolhida, o ideal é você sempre ficar atento às inovações, a fim de manter o padrão de qualidade dos seus serviços e também não perder nenhuma novidade do mercado.

Gostou do artigo? Então entenda mais sobre outra forte tendência logística: as mulheres no transporte de cargas.

tecnologia na logistica

Inteligência Artificial, otimiza tempo e reduz acidentes

Uma das grandes preocupações de fabricantes, fornecedores e atacadistas que precisam enviar suas mercadorias para diferentes partes do país é a segurança nas estradas. Entre acidentes e má condições das pistas, o risco de prejuízo é muito grande. A boa notícia é que a utilização da inteligência artificial está trazendo novas esperanças para o setor.

É uma tendência que vem ganhando mais força a cada ano dentro da logística, pois facilita na criação de rotas e no acompanhamento de viagem dos motoristas. Como resultado as empresas melhoram os seus serviços e diminuem os riscos nas estradas.

Quer entender por que a otimização das rotas de entrega deve ser uma a preocupação constante para qualquer empresa, e ainda saber como a inteligência artificial está sendo utilizada pelo setor logístico? Então, continue lendo e confira o nosso artigo completo sobre o assunto.

Boa leitura!

 

Por que se preocupar com a otimização de rotas e fatores que impactam a viagem dos caminhões?

O transporte de cargas é uma das etapas mais importantes para o sucesso de uma operação logística. Afinal, não adianta realizar boas produções ou um estoque adequado de mercadorias se a entrega não acontecer de maneira correta ou dentro do tempo pré-determinado.

No fim da operação, a sua empresa só terá lucro real se o seu produto chegar sem danos ou avarias ao cliente, seja ele um revendedor ou consumidor final. Mas, não basta ser cuidadoso, o transporte precisa ser ágil para que os prazos sejam cumpridos.

No entanto, bons resultados não surgem através de mágica. Para que tudo aconteça como o esperado, você precisa se preocupar com fatores como:

  • tempo de espera para carregamentos e descargas;
  • pontos de apoio mais seguros;
  • otimização de rotas.

É a partir de um planejamento visando à melhoria desses processos que a sua empresa garante um trabalho mais coeso e com menos riscos.

Em uma viagem de entrega o veículo fica sujeito a fatores macroambientes como violência, mudança climática e condições da estrada. Você pode não ter domínio sobre esses pontos, mas pode se antecipar à maioria.

É possível criar rotas que sejam menos propensos à violência e que apresentem menor incidência de chuvas, alagamentos, incêndios etc. bem como, trabalhar para que, pelo menos, as coletas aconteçam de maneira mais dinâmica.

Assim, você consegue diminuir os gastos com manutenção e combustível, minimizando os custos gerais da operação.

Por fim, esse trabalho de inteligência feito por sua empresa garante o sucesso do cliente, possibilitando o repasse de dados de localização e dando a tranquilidade sobre o cumprimento de prazos.

 

Como a inteligência artificial pode ajudar na otimização de rotas e na redução de acidentes?

Mesmo você entendendo a importância da otimização de rotas, não há como negar que superar os desafios diários das estradas brasileiras não é tarefa simples – ainda mais quando questões políticas interferem na segurança diária.

Porém, não há tempo para reclamações, você precisa garantir que as suas mercadorias cheguem aos seus clientes dentro do prazo. É aí que a inteligência artificial surge como forte aliada das empresas.

Mas, diferentemente do que muitos podem pensar, não estamos falando de carros autônomos ou tecnologias que ainda estão fora do alcance da maioria dos gestores.

A inteligência artificial aqui se dá por meio do Advanced Driver Assistance Systems (Sistemas Avançados de Assistência ao Motorista, em português), que trabalha junto a aplicativos capazes de monitorar todas as atividades envolvendo a movimentação de um veículo de transporte, tais como:

  • comportamento do motorista;
  • condições da estrada;
  • tipo de direção.

Com a participação da inteligência artificial, todas essas situações são gravadas e enviadas, através da nuvem, para os gestores logísticos dentro da empresa. Os dados são coletados, estudados e utilizados para criação de planejamentos e tomadas de decisões mais efetivas.

Assim, a sua empresa define rotas mais seguras para o motorista e para a carga, diminui o risco de acidentes e, principalmente, garante que as entregas cheguem dentro do prazo aos clientes.

Mas é lógico que a inteligência artificial em questão só faz diferença para empresas que repassam suas mercadorias para transportadoras que abraçam a inovação. Não adianta estar ciente sobre os benefícios que a tecnologia traz para o seu negócio, se na hora de terceirizar a entrega você conta com parceiras despreparadas. Pense que além da qualificação do serviço, você também está fazendo a sua parte para tornar as estradas brasileiras mais seguras para todos. Faça o melhor por seus clientes.

A RDR é uma das transportadoras referências do país e abraça a inovação desde a sua origem. Acesse e conheça os nossos serviços.

machine learning na logistica

Machine learning na Logística

O machine learning, sem dúvida, é uma das recentes ferramentas tecnológicas que mais traz benefícios para a logística. Afinal, em um setor no qual os processos externos cobrem boa parte das operações, contar com uma tecnologia que ajuda na previsibilidade faz toda a diferença.

Talvez, o único entrave que ainda atrapalha muitas empresas a usufruírem das vantagens da machine learning na logística é justamente a falta de conhecimento de seus gestores sobre o assunto. Ainda que muitos já utilizem os conceitos práticos em suas rotinas, há outros que acreditam se tratar de algo fora de alcance.

Então, para ajudar você e outros profissionais que ainda têm dúvidas sobre o assunto, a seguir, falaremos mais sobre como o machine learning se aplica no dia a dia logístico e quais são suas vantagens reais. Continue com a gente e confira.

Boa leitura!

Por que contar a machine learning na logística?

Apesar de ser algo revolucionário, o conceito do machine learning é até bem simples de entender. O nome “aprendizado da máquina” é autoexplicativo e aponta como a tecnologia funciona na prática. Por meio da inteligência artificial (IA), as ferramentas da sua empresa que contam com machine learning aprendem e conseguem desenvolver ou indicar novas práticas, ideias e conceitos para melhorar a rotina de trabalho.

Por exemplo, digamos que você utilize uma plataforma para a criação de rotas que funciona com a tecnologia do machine learning. A cada novo dado inserido, a ferramenta é capaz de aprender e apontar rotas mais seguras e que melhorem a produtividade dos caminhoneiros.

Os dados em questão podem ser justamente relatos de experiências anteriores dos próprios motoristas, informações de fontes confiáveis sobre segurança e condições da via, previsões climáticas, entre outros.

Com isso, a máquina se torna capaz de otimizar um processo que, historicamente, sofre muito com imprevisibilidade. Os motoristas saem mais preparados da empresa e seguindo destinos que ofereçam menor chance de contratempos.

De que outras maneiras o machine learning está revolucionando a logística?

Entendido o porquê o machine learning ser uma tecnologia condizente com a logística, confira agora como a ferramenta está revolucionando o dia a dia de muitas empresas do setor.

Melhor precificação de fretes

Com o machine learning a precificação de fretes tende a ser melhorada, pois a definição é feita com estudos e comparativos analíticos. Não há mais achismos ou incertezas. A tendência é de uma precificação que traga mais rentabilidade para o negócio e maior confiança para o cliente. E a cada novo frete realizado, mais aperfeiçoada será a próxima definição.

Maior controle das cargas

Além da criação e indicação de rotas mais seguras citadas anteriormente, o machine learning permite maior controle das cargas, pois trabalha em constante atualização. Com as informações inseridas por motoristas ou profissionais de dentro da empresa, a ferramenta de se atualiza e faz o acompanhamento real de fatores importantes, tais como:

  • tempo estimada para chegada;
  • condições da carga;
  • localização.

Otimização da cadeia de suprimento

Como você sabe, a cadeia de suprimento é formada por diversos processos e equipes. E, por mais que um profissional seja tecnicamente preparado, é humanamente impossível que ele consiga receber a analisar muitas informações.

Já com o machine learning é diferente. Além de receber uma quantidade imensurável de dados, a tecnologia consegue fazer novas análises e projeções de maneira instantânea. Por exemplo, com as informações passadas pelo controle de estoque, a equipe de compras recebe indicações sobre quais mercadorias devem ser adquiridas para que não haja rupturas.

Assim como o motorista recebe sugestões de novas rotas quando houver algum imprevisto durante a sua viagem. Toda cadeia interligada e aperfeiçoada.

Qual a importância da IOT e big data para o sucesso do machine learning?

Como você pôde notar ao longo da postagem, a eficiência do machine learning depende muito da obtenção de dados para análise e desenvolvimento da Inteligência Artificial. É por isso que a participação de outras tecnologias como o big data e IOT são essenciais.

O big data é justamente a ferramenta que permite o armazenamento de uma quantidade imensurável de dados. É a partir dele que o machine learning extrai informações suficientes para realizar previsões e análises.

Já o IOT (Internet das Coisas) é a tecnologia que integra todos os equipamentos da sua empresa à internet. Computadores, máquinas, caminhões, entre outros: todos interligados e repassando informações para o big data e machine learning através da grande. Uma integração que permite a IA do machine learning trabalhar sem a intervenção de terceiros.

Por falar em caminhões, os veículos autônomos estão entre as grandes tendências do machine learning para os próximos anos. Grandes empresas como a Amazon já realizam entregas mais curtas utilizando caminhões capazes de aprender a partir de informações externas.

Enfim, o machine learning já é uma realidade na logística e muitas empresas se beneficiam da tecnologia até para melhorar a comunicação com os seus clientes. Porém, não basta que apenas sua marca seja adepta a esse tipo de ferramenta. No setor logístico, nenhuma empresa trabalha individualmente, por isso é importante que parceiros como transportadoras e fornecedores também abracem a inovação em suas rotinas.

Gostou do artigo? Deixe o seu comentário.

o que é big data e como usar na logística

Logística com Big Data

Embora a logística seja conhecida como um setor que abraça a tecnologia, essa exploração sempre foi mais focada na parte operacional, com a utilização de grandes máquinas na produção. As partes estratégias, gerenciais e administrativas, normalmente, ficavam aquém do potencial. Porém, isso está mudando, com muitas empresas já adotando ferramentas como o Big Data.

Em um mundo cada vez mais digital, com os clientes se comunicando e fechando negócios pela internet, as empresas perceberam que poderiam utilizar os dados gerados em cada operação para crescimento próprio. Mas, para isso, era preciso uma solução que suportasse a imensa quantidade de informações diárias. A partir dessa ideia, nasceu o Big Data.

Mas, você sabe o que é o Big Data ou como a logística da sua empresa pode ser beneficiada com a adoção dessa ferramenta? Para ajudar você a entender mais sobre o assunto, preparamos este artigo explicando o funcionamento do Big Data na logística.

Boa leitura!

 

O que é o Big Data?

Em tradução livre podemos considerar Big Data como “Grande dado”, um conceito que ajuda a entender a ferramenta com mais facilidade. A palavra “Big” não é à toa, pois se trata de uma tecnologia capaz de armazenar uma quantidade imensurável de informações.

Como explicado na introdução, o Big Data foi criado exatamente para que as empresas pudessem armazenar os dados gerados em todos os seus processos, sejam externos ou internos. Não importa qual tipo de informação, se é digital, a ferramenta consegue armazenar.

Uma ótima maneira de entender o funcionamento do Big Data é analisando os serviços de streaming de séries e filmes. Graças à grande contenção de dados possibilitada pela ferramenta, as plataformas conseguem estudar o comportamento dos usuários e oferecer opções de entretenimento condizentes com cada perfil.

Claro, é um setor completamente diferente da logística, mas a eficiência do Big Data é a mesma em qualquer segmento.

 

Como o Big Data funciona na logística?

Por incrível que pareça, falar em Big Data na logística ainda pode causar espanto em alguns gestores hoje em dia. Afinal, muitos entendem o aperfeiçoamento tecnológico apenas como fator operacional, desperdiçando oportunidades de otimização na parte estratégica.

Assim como a maior parte dos setores atualmente, a logística gera uma infinidade de dados diariamente, e isso pode ser utilizado a favor da sua empresa. Saiba como.

Otimização de rotas

Um dos gargalos mais comuns na logística acontece justamente na movimentação externa de mercadorias feita pelos veículos, seja para os armazéns ou para a entrega aos clientes. Muitas vezes, os motoristas são pegos de surpresa por obras nas estradas, violência ou outros contratempos.

Essa dificuldade pode ser significantemente melhorada com o uso do Big Data. Ao explorar o banco de dados da empresa, contendo históricos de viagens e outras informações extraídas de fontes confiáveis, o gestor consegue traçar rotas melhores e facilitar o deslocamento dos veículos.

Além de trazer economia, com combustível e manutenção, e mais segurança para o motorista, a estratégia também otimiza a “última milha”, justamente o processo final de entrega ao seu cliente.

Melhoria da jornada do comprador

A logística tem um papel fundamental na experiência do cliente, desde a separação do produto adquirido até a entrega final. Assim, ao utilizar o Big Data, o setor consegue melhorar muito a jornada do seu comprador.

Por exemplo, com a análise de dados, é possível entender o comportamento do cliente e indicar soluções condizentes com o seu perfil, tais como:

Além disso, o histórico conta com informações que podem facilitar a compra seguinte, como uma mudança de endereço ou um novo ponto de referência. A tendência é de aperfeiçoamento na experiência do cliente a cada nova negociação. Tendo como resultado aumento na fidelização do usuário e, logicamente, crescimento no capital da sua empresa.

Facilidade na precificação do frete

Com o Big Data, mesmo locais com baixo fluxo de entrega têm o seu histórico gravado no banco de dados. Esse pequeno detalhe faz muita diferença para o fechamento de novas negociações e precificação de fretes, pois mesmo diante de uma rota não cotidiana, o gestor consegue puxar informações e analisar os preços praticados em operações semelhantes.

Ou seja, você deixa de trabalhar com achismos e incertezas e passa a tomar decisões de maneira analítica. Transmitindo mais transparência, bem como, maior confiabilidade para clientes e parceiros.

Enfim, as oportunidades de aproveitamento do Big Data na logística são inúmeras. Porém, é sempre importante lembrar que a logística é uma grande cadeia interligada e precisa da participação de outros players, como transportadoras e fornecedores, para completa eficiência. Por essa razão, é essencial contar com parceiros que também primam por uma gestão inovadora e utilizam ferramentas inteligentes como o Big Data.

Gostou do artigo? Continue no nosso blog e entenda como o Machine Learning pode ser aplicado na logística.

lgpd logística e setor de compras

Saiba por que a LGPD é importante e como a área de compras pode ajudar

Desde que a internet se popularizou, alcançando todos os continentes, a ideia de “terra sem lei” no mundo virtual, onde o uso indiscriminado de informações pessoais é permitido, acabou ganhando forças gradativamente. No intuito de conter essa visão distorcida, o governo brasileiro desenvolveu várias normas e leis, entre elas, a LGPD.

Embora abranja também a extração de dados em estabelecimentos físicos, a medida é um grande passo para que os usuários brasileiros consigam navegar na internet com segurança e tranquilidade em relação às suas informações.

Para que você consiga entender e possa se preparar adequadamente para a LGPD, a seguir, traremos um panorama geral sobre essa nova lei federal. Continue com a gente e confira.

Boa leitura!

O que é a LGPD?

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) é uma norma do governo que entrará em vigência a partir de agosto de 2020. A LGPD foi criada para trazer mais organização no uso de dados e maior segurança para clientes de estabelecimentos físicos e usuários da internet.

A partir do momento em que ela estiver em ação, toda empresa brasileira terá que seguir as suas diretrizes em relação à extração, compartilhamento e armazenamento de dados pessoais, por exemplo, dos usuários que navegam em seus sites.

Como se trata de uma Lei federal, a LGPD também afeta empresas estrangeiras que atuam no nosso país, mesmo que essas não tenham um escritório físico no Brasil.

Mas, quais são os dados pessoais que a LGPD trata? Segundo a nova lei, os dados pessoais são todas as informações que ajudam a identificar um indivíduo, não necessariamente números de documentos, por exemplo:

  • qualificação profissional;
  • características pessoais;
  • endereço residencial;
  • endereço de e-mail;
  • gostos pessoais.

Em relação às crianças e adolescente a LGPD é ainda mais enfática, afirmando que as empresas precisam do consentimento dos responsáveis para extrair quaisquer informações. O controlador deve utilizar os seus meios tecnológicos para confirmar o consentimento dos responsáveis.

Por que a LGPD é importante?

Como explicado na introdução, um dos grandes desafios dos governos pelo mundo é acabar com o conceito de “terra de ninguém” que muitos usuários têm em relação à internet. Embora aqui no Brasil já tenham ocorridos outras tentativas, a LGPD é a ação mais específica dentro desse objetivo.

Antes, não importava se você era um grande empresário ou apenas uma criança, os sites poderiam extrair e utilizar os seus dados indiscriminadamente. Não havia sequer uma indicação sobre o que estava acontecendo.

A LGPD traz à tona o seu direito de privacidade. Agora, qualquer marca fica impedida de extrair informações pessoais do usuário sem o seu consentimento, sendo obrigada a trabalhar com transparência total.

Mas a importância da nova lei não se restringe à segurança do usuário. Com mais organização e normas, empresas que estão investimento em estratégias digitais também são beneficiadas. Entre as principais vantagens da LGPD para o mundo profissional estão:

  • padronização de normas, garantido igualdade para todas as empresas;
  • fomentação do desenvolvimento econômico e tecnológico;
  • garantia de segurança jurídica;
  • favorecimento à concorrência.

No Brasil tem diferenças?

Por se tratar de uma lei federal, a LGPD se aplica igualmente em todo território nacional. Como explicado, embora um dos intuitos principais seja trazer maior organização para a internet, a lei abrange quaisquer empresas físicas no Brasil.

Mesmo empresas estrangeiras estão sujeitas à LGPD. Por exemplo, ainda que os dados tenham sido extraídos fora do país, o controlador deve obedecer às normas caso o tratamento das informações seja realizado em território nacional.

Além disso, caso o objetivo da extração seja uma oferta ou negociações dentro do Brasil, a LGPD também pode ser acionada.

Como o seu setor de compras pode ajudar?

Além de ser uma das áreas que mais trabalham com dados externos, o setor de compras também lida diretamente com fornecedores e parceiros que fazem uso de informações de terceiros. Isso aumenta a responsabilidade dos profissionais da área na adequação da empresa à LGPD.

Por exemplo, na hora de fechar com algum parceiro, seja fornecedor ou transportadora logística, o setor de Compras deve se certificar que este segue as normas de confidencialidade exigidas pela nova lei.

Ainda que a sua empresa não tenha participado da extração direta, ela também pode ser punida por fazer o uso. Por isso a avaliação sobre o parceiro é extremamente necessária. Além disso, o seu setor de Compras pode tomar outras ações para ajudar, tais como:

  • garantir que a cada reformulação interna, a LGPD seja sempre considerada;
  • trabalhar em parceria com o setor jurídico, garantindo adequação total;
  • reforçar o treinamento das equipes sobre as novas diretrizes.

Sem dúvida alguma, a LGPD traz uma nova realidade para as empresas em relação à extração e utilização de dados de clientes. Por isso, mais do que nunca, você deve prezar por parcerias com marcas que estão completamente adequadas às normas da LGPD, por exemplo, a RDR Soluções Logística, que oferece segurança, transparência e tranquilidade para os seus usuários e parceiros.

Gostou do artigo? Que tal agora entender mais sobre as vantagens do Outsourcing?