Rastreabilidade de produtos: Entenda os benefícios

Sendo uma exigência legal em muitos setores, a rastreabilidade produtos é, sem dúvida, uma maneira inteligente de assegurar qualidade na gestão produtiva de uma empresa. E em um mercado que preza por dinamismo, é um fator se apresenta também como uma grande diferencial competitivo.

O fato é que toda empresa deseja impulsionar a sua produção e melhorar os seus números financeiros. Porém, quanto maior e mais extensa a cadeia produtiva, mais complexo pode ser o controle. Ações como a rastreabilidade entram como suporte para garantir uma expansão segura.

Ainda não sabe o que é e como funciona a rastreabilidade de produtos? Então, continue lendo e entenda tudo sobre essa prática, além dos seus benefícios. Boa leitura!

Rastreabilidade de produtos

A rastreabilidade é a capacidade que uma empresa tem de, basicamente, conhecer o histórico de um produto. Ou seja, por meio de informações antecipadamente registradas, detalhes como localidade e aplicabilidade são facilmente extraídos.

A partir dessa ação, a empresa consegue, por exemplo, identificar rapidamente a localização exata de uma mercadoria dentro do processo produtivo, bem como, o seu local de origem. Tudo isso apenas decifrando os dados gravados nos números de impressão no próprio item.

Funcionamento da rastreabilidade de produtos

O funcionamento da rastreabilidade se dá com a junção da alta tecnologia com a eficiência profissional. A participação de ferramentas inteligentes, como leitores de códigos de barras e etiquetas RFID, é essencial para a gravação das informações nos produtos.

Quanto melhor o equipamento, mais fácil e eficiente será a gravação e a exploração do histórico contido em cada item. Dependendo do produto, isso pode ser feito até mesmo em segundos.

Porém, a rastreabilidade só funcionará e trará os resultados esperados se todos os profissionais envolvidos em cada etapa da cadeia logística fizerem a sua parte.

Registros sobre o tipo de processo produtivo aplicado em cada fase devem ocorrer obrigatoriamente, assim como dados sobre a localização e a data. Com isso, cria-se um histórico completo sobre o produto, facilitando ações de identificação em eventuais problemas.

Se por acaso algum setor deixar de realizar a sua função, todo o trabalho pode ser comprometido.

Importância da rastreabilidade de produtos para a sua empresa

Como dito, a rastreabilidade de produtos chega a ser uma ação obrigatória para alguns setores industriais, sendo colocada como um fator de segurança.

Porém, acima de questões legais, a ação tem grande relevância em termos de qualidade de execução e gestão empresarial. Com a rastreabilidade, a sua empresa passa a trabalhar de maneira organizada e inteligente.

Em outras palavras, é uma prática que possibilita o seu negócio a ser mais bem sucedido em situações de imprevistos ou de grande movimentação, como o recall de produtos. A identificação e recuperação dos itens acontece de maneira rápida e eficaz, aumentando a transparência da iniciativa e agregando valor a sua marca e a mercadoria em si.

Benefícios da estratégia

Como uma prática baseada em tecnologia e inovação, quando bem desenvolvida, a rastreabilidade de produtos consegue trazer diferentes benefícios para uma empresa. Conheça algumas dessas vantagens.

Otimização de processos

Com a facilidade da leitura de códigos, a rastreabilidade consegue agilizar muitos processos dentro da cadeia de suprimentos. O controle de qualidade, por exemplo, é uma etapa que ganha outra dinâmica dentro desse cenário.

A facilidade para realizar um checklist na ficha técnica do produto é muito maior. Além disso, o inspetor consegue gravar comentários e até fotos pertinentes ao histórico do produto, assegurando maior eficácia a sua função.

Agilidade em casos de não conformidade

Quando um produto não atende a critérios macroambientes, como de normas e legislações, ou apresenta falhas em alguma etapa da cadeia produtiva, é preciso realizar um processo de não conformidade, também conhecido na indústria como recall.

Esse tipo de operação causa grande movimentação por parte da empresa a fim de garantir que a eventualidade seja resolvida com os menores danos possíveis.

Com a rastreabilidade de produtos tudo fica mais dinâmico, pois é possível identificar precisamente em qual fase ocorreu a falha, bem como definir a melhor decisão a ser tomada.

Melhor relacionamento com fornecedores

A rastreabilidade pode ser considerada como um grande elo entre os participantes de uma cadeia logística. Isso inclui, além da sua empresa, parceiros como:

Como a gravação do histórico completo do produto depende da eficiência dos profissionais em cada fase, a rastreabilidade se torna um fator estratégico na melhoria da comunicação entre os agentes participantes.

Por isso é importante que a sua empresa preze por parceiros que trabalhem na mesma sintonia de inovação, facilitando o acompanhamento dos itens e assegurando qualidade durante todo o processo.

A rastreabilidade de produtos é uma ação condizente com a realidade atual, na qual o consumidor valoriza ideias e conceitos de inovação dentro das empresas. Todos os negócios que não seguirem uma linha de adaptação à transformação digital tendem a ser superados em um futuro próximo, correndo riscos de continuidade. Por isso, garanta vantagem competitiva a sua marca e trabalhe com ferramentas tecnológicas e ótimos parceiros logísticos.

Gostou do artigo? Que tal agora conhecer 5 ferramentas logísticas que podem facilitar o seu dia a dia?

Embarcador: Saiba o que analisar ao escolher uma transportadora

Garantir os melhores serviços a custos realistas é o objetivo de todo embarcador. Pois, ao ser bem-sucedido, ele consegue garantir o escoamento da produção e a entrega dos pedidos dos clientes dentro dos prazos definidos.

Mas como utilizar recursos próprios encarece bastante o orçamento, o melhor caminho é contar com transportadoras capacitadas e de alta eficiência produtiva. No entanto, o que um embarcador deve analisar antes de escolher uma transportadora?

Para facilitar o seu trabalho, criamos este artigo com dicas sobre o assunto. Continue lendo e saiba o que deve ser analisado dentro de um planejamento para a escolha de um parceiro de transporte. Boa leitura!

 

Análise de necessidades da empresa

As primeiras informações que você deve levantar, enquanto embarcador, são sobre as necessidades do seu negócio. Uma análise detalhando qual tipo de perfil deve ter a transportadora para atender as demandas da sua empresa. É possível colocar diferentes fatores, por exemplo:

  • expertise da transportadora no setor;
  • capacidade de transporte;
  • prazos de entrega;
  • valores.

Esse levantamento é importante para que você consiga realizar uma triagem. Se o parceiro não corresponde as suas expectativas iniciais, então não há razão para manter uma negociação.

Afinal, o transportador tem papel fundamental no relacionamento com o seu cliente. Se ele não se encaixa no perfil que o seu público-alvo espera, essa imagem acaba refletindo no seu negócio.

 

Experiência e histórico da empresa

Com uma segmentação realizada, o passo seguinte é conhecer melhor a empresa postulante. A operação em que a carga passa do embarcador para o transportador pode ser bastante complexa, por isso é imperativo que a transportadora tenha conhecimento no assunto.

O melhor caminho é pesquisar sobre o histórico da empresa e o que o mercado fala sobre a sua atuação. Há vários pontos que você pode analisar, mas alguns dados não podem ficar de fora, tais como:

  • qualificações e especialidades da empresa;
  • nível de satisfação de clientes anteriores;
  • tempo de atuação.

 

Eficiência no atendimento ao cliente e parceiro

Um ponto essencial que muito embarcador negligencia na hora de avaliar uma transportadora é o nível de atendimento da parceira. Embora a execução do serviço seja importante, um atendimento defeituoso também pode trazer grandes prejuízos.

A transportadora é o agente que faz a entrega para o seu cliente final. Caso haja algum imprevisto durante a operação, pode ser que o usuário entre em contato não com a sua empresa, mas com a transportadora.

Se o atendimento oferecido for aquém do esperado, a sua empresa corre o risco de perder um ou mais clientes. É um ponto que não pode ser ignorado, sendo necessário avaliar:

  • canais de comunicação disponíveis;
  • tempo de atendimento;
  • facilidades de contato.

Claro, também analise o nível de execução dos serviços, bem como cumprimento de prazos e qualidade das ferramentas.

 

Informações sobre a frota e equipe de trabalho

Uma transportadora não pode oferecer um serviço de excelência sem uma equipe preparada e equipamentos de primeira linha, incluindo os veículos de carga.

Como embarcador, você deve solicitar informações pertinentes sobre a frota a fim de constatar a eficiência dos veículos em relação às necessidades do seu negócio. Verifique fatores como:

Não obstante, se informe sobre a capacidade técnica da equipe de trabalho. Pesquise se a empresa adota uma política de aperfeiçoamento profissional constante, mantendo as equipes atualizadas sobre as principais inovações, tendências e obrigatoriedades do setor.

 

Adoção de tecnologia

A aplicação de tecnologia sempre foi uma realidade dentro do setor logístico. Tanto a adoção de ferramentas quanto a automatização de processos são ações fundamentais para que as empresas consigam atender corretamente as necessidades dos clientes.

Por isso, não deixe de analisar se a transportadora adota soluções tecnológicas em seus processos. E essa análise deve considerar todos os estágios da cadeia logística, afinal, como vimos, o trabalho da transportadora pode ter grande impacto no relacionamento com o seu cliente.

Além disso, empresas que abraçam a tecnologia tendem a reduzir seus índices de erros, controlar os custos e otimizar a produtividade. Isso é excelente não só em termos de execução de serviços, mas também na negociação de preços.

 

Transparência nas informações com o embarcador

Para que as partes tenham sucesso, a relação entre embarcador e transportadora deve ser sempre transparente. É preciso que haja uma troca de informações direta e constante sobre todos os detalhes da operação.

Você deve verificar se a transportadora trabalha com compartilhamento de informações, permitindo que o embarcador consiga acompanhar o trajeto da mercadoria. A ação também é interessante para que a sua empresa mantenha o cliente informado, atualizando o status da entrega.

É fato que contratar serviços de outra empresa não é tarefa simples. Só é preciso uma decisão errada para comprometer o planejamento e o faturamento de um ano inteiro. Porém, ao seguir as dicas apresentadas, você forma uma base sólida para fazer a melhor escolha, garantindo eficiência nas entregas e qualidade em todo o serviço.

Dicas para evitar atrasos na entrega de mercadorias

É indiscutível o fato de que uma entrega de mercadorias com alta qualidade faz toda diferença para a imagem e sucesso de uma empresa. Afinal, hoje, muitos clientes já prezam mais pela experiência como um todo do que pelo preço de produtos ou serviços.

Por isso, evitar atrasos é essencial. Apresentar consistência nas operações é um passo chave para que o empreendimento alcance um patamar de destaque. A boa notícia é que há caminhos práticos para isso.

Se você está buscando formas de melhorar a sua entrega de mercadorias, continue com a gente e confira ótimas dicas de como ser bem-sucedido sem precisar onerar os cofres da sua empresa. Boa leitura!

Crie um bom planejamento logístico

O princípio lógico conhecido como Navalha de Occam aponta que, muitas vezes, as soluções para problemas complexos estão nas medidas mais simples. Em outras palavras, fazer o básico pode ser a resposta para reverter uma adversidade.

Na logística, o “básico” é a criação de um planejamento coeso que cubra todas as necessidades da sua empresa. Para otimizar uma operação, é preciso um plano que considere todos os detalhes e processos, desde fatores internos até os fatores externos.

Assim, a empresa passa a trabalhar com procedimentos homogêneos e ainda consegue realizar investimentos pontuais em tecnologias, infraestrutura e terceirização. O resultado, entre outras coisas, é a redução de falhas e a eliminação de contratempos que poderiam causar atrasos na entrega de mercadorias.

Como a logística é um setor que depende da força coletiva, o seu planejamento precisa contemplar outras atividades que influenciam diretamente nas entregas, por exemplo:

  • sistema de inventários;
  • gestão de estoques;
  • plano de rotas.

Otimize processos internos

Com um bom planejamento para guiar as ações das equipes, o próximo passo é otimizar os processos internos da empresa. É nessa etapa que você deve analisar minuciosamente as atividades dos grupos a fim de identificar gargalos e contratempos.

O caminho mais indicado para isso é o mapeamento de processos, permitindo que você monitore todas as áreas de maneira correta e sempre de forma organizada. Com as informações em mãos, o passo seguinte é criar estratégias com o intuito de reverter ou eliminar os riscos.

Cada empresa apresenta suas próprias dificuldades, porém, no geral, existem pontos que são comuns quando se trata de controle interno, entre eles:

  • atraso na emissão de documentos;
  • falta de comunicação;
  • processos obsoletos.

Analise os riscos do segmento

Criar um setor para análise de riscos também é muito importante, pois ajuda o seu negócio a não ser pego de surpresa. Com um bom planejamento é possível aperfeiçoar operações e processos internos, mas nem sempre a empresa se prepara corretamente para situações macroambientes.

Já com esse tipo de análise você consegue reestruturar a sua cadeia logística em nível de excelência. Claro, é impossível impedir que os imprevistos venham à tona, mas com um trabalho de inteligência a empresa se torna capaz de reverter a situação rapidamente e minimizar os prejuízos.

Uma ótima dica é criar um controle de qualidade, direcionando ferramentas e recursos para identificar riscos e dificuldades de cada etapa e criando planos extras para cada situação. Se tratando de entrega de mercadorias, esse preparo é fundamental.

Aperfeiçoe o processo de distribuição

Muitas vezes, a qualidade da entrega de mercadorias é comprometida porque a equipe de distribuição não consegue executar corretamente suas funções. Na prática, a distribuição já começa assim que o produto chega ao armazém e se inicia a separação.

Se há um espaço de tempo muito grande entre a chegada da carga e o início do processo de triagem,  a entrega para o cliente tende a sofrer.

O controle de qualidade, citado no tópico anterior, pode ser implementado para alinhar e nivelar as atividades. Você deve garantir que tanto a separação quanto o armazenamento em estoque (caso necessário) sejam realizados no menor tempo e custos possíveis.

Claro, o transporte também faz toda diferença na eficiência da distribuição. Mas isso pode ser resolvido com a contratação de um parceiro logístico com alto conhecimento. Entenda mais no próximo tópico.

Conte com transportadoras diferenciadas para a entrega de mercadorias

Ao longo do texto comentamos sobre a importância de identificar gargalos da sua operação a fim de evitar os atrasos na entrega de mercadorias. Acontece que, muitas vezes, a empresa segue um ótimo padrão nos seus processos internos, mas demonstra pouca expertise nas ações de transporte.

Uma alternativa inteligente e prática para resolver esse imbróglio é contar com transportadoras que tenham know-how no assunto e apresentam resultados consistentes no mercado.

Quando se trata de entrega de mercadorias, não vale a pena arriscar. Se o seu grupo de análise identificou baixa eficiência justamente na gestão de frotas e transporte, o melhor caminho é contar com a participação de parceiros especializados. Afinal, nenhum cliente se manterá fiel a uma marca que não cumpre com os seus prazos.

Para não errar na escolha, priorize empresas que apresentam um bom histórico de serviços, ofereçam equipamentos modernos e uma estrutura capaz de suprir todas as suas necessidades. Não coloque o preço como o fator essencial, analise sempre pela perspectiva de custo-benefício.

Trabalhe com prazos realistas

Por mais que você desenvolva um ótimo planejamento e a transportadora parceira conte com conteúdos diferenciados, a verdade é que o serviço de entrega de mercadorias está sempre sujeito a situações macroambientes.

Fatores climáticos, geográficos e sociais, são questões que podem influenciar diretamente à eficiência da entrega. Por isso, um bom gestor ou empreendedor jamais faz promessas. A melhor opção é sempre trabalhar com prazos realistas e que considerem imprevistos.

Assumir compromissos de forma aleatória é entrar em uma zona de risco desnecessariamente. Acima de tudo, a sua empresa deve trabalhar com profissionalismo, evitando que a negligência faça parte dos planos.

Portanto, reavalie os prazos. Converse e estude com a sua transportadora sobre as dificuldades de cada situação e disponibilize para o usuário informações e dados que estejam dentro da sua realidade.

Atender às necessidades dos clientes é sempre importante para empresas que desejam se destacar e expandir seus negócios. Mas, para isso, é necessário cometer o mínimo de erros e se manter a frente de imprevistos e dificuldades. Como explicado, a participação de uma transportadora experiente faz toda diferença para garantir uma entrega de mercadorias eficiente e que atenda as expectativas do seu cliente.

Quer contar com a parceria de uma transportadora com alto conhecimento de mercado? Então entre em contato agora mesmo.

O que é carga Lotação, Transporte Dedicado e Fracionado?

Para um gestor logístico, que precisa garantir a otimização de suas operações e diminuir os custos da empresa, conhecer em detalhes cada modalidade de transporte de carga é essencial. Pois é a partir desse preparo que ele conseguirá tomar as decisões mais adequadas e alcançar os melhores resultados.

A verdade é que algumas das principais dúvidas que pairam sobre o setor logística é a diferença entre a carga de Lotação, o Transporte Dedicado e o Fracionado. Embora o objetivo seja sempre entregar as mercadorias em menor tempo e com grande eficácia, cada método apresenta particularidades interessantes para as empresas.

Continue lendo e saiba os conceitos e as principais informações sobre esses três tipos de modalidade de transporte. Boa leitura!

O que é carga de Lotação?

A carga de Lotação, também conhecida como carga fechada, é a modalidade onde o veículo tem todo o espaço disponível preenchido apenas pelas mercadorias de um cliente. Ou seja, não há vários destinos de entrega. A operação é feita do ponto de coleta até o local final.

Nessa modalidade, existe uma preocupação quanto à capacidade do veículo em relação ao volume apresentado pela empresa. A principal vantagem é que o tempo para a execução do serviço tende a ser menor, pois não há necessidade de paradas durante o trajeto – não considerando fatores obrigatórios, como descanso do motorista, refeição, abastecimento, entre outros.

Algumas das principais peculiaridades que essa modalidade apresenta, e que valem a pena serem avaliadas pelo gestor, são:

Disponibilidade de veículos

Antes de fechar o serviço de carga de lotação, é preciso se certificar sobre a disponibilidade de veículos da transportadora.

Por ser uma operação de transporte para um grande volume de produtos, o investimento só valerá a pena se houver o número correto de veículos adequados para atender a demanda.

Arrumação mais bem trabalhada

Na carga de Lotação há um cuidado maior com a arrumação interna do veículo. Como as mercadorias precisam preencher todo o espaço, a organização é melhor desenvolvida, em contrapartida, isso pode deixar o processo de carregamento um pouco mais lento.

O que é Transporte Dedicado?

Comumente, há uma confusão sobre as modalidades de carga de Lotação e Transporte Dedicado. Até entre os profissionais do setor logístico há quem acredite que se trata do mesmo tipo de serviço. Um ledo engano!

Como vimos, na carga de Lotação existe um planejamento para que todo o espaço de veículo seja utilizado em uma operação de transporte. Já no ‘método Dedicado’ acontece um pouco diferente.

No transporte Dedicado, o usuário também contrata os serviços de um agente entregador de forma exclusiva, mas a operação é executada sem a preocupação sobre o volume de mercadoria a ser carregada.

Para ser mais específico, essa estratégia é indicada para empresas que precisam de um modelo logístico único, no qual suas mercadorias não podem se misturar com nenhuma outra — nem mesmo com seus próprios produtos —, por exemplo, clientes que trabalham com venda de matéria-prima, Inbound e Outbound.

É sem dúvida o trabalho mais desenvolvido entre todas as modalidades, pois há uma personalização do serviço a fim de atender as carências de um único cliente. Além disso, aqui, motoristas e equipe logística da transportadora ficam menos passíveis a erros, aumentando  a qualidade do trabalho.

Para entregas emergenciais ou onde há uma necessidade multimodal, o Transporte Dedicado é uma ótima opção.

Entre as principais vantagens dessa estratégia, destacamos:

Exclusividade de veículos

Como explicado, no Transporte Dedicado não há compartilhamento de carga. Nem mesmo com produtos da mesma empresa, mas que apresentam características diferentes. O veículo é utilizado unicamente para aquela operação, ainda que o volume transportado seja pequeno.

Com isso, não há risco de contaminação ou avarias de mercadorias, no caso de perecíveis ou outros alimentos, por exemplo.

Precisão nas entregas

Na entrega Dedicada há uma aproximação maior entre o gestor da empresa e a transportadora, garantindo que todas as características dos produtos sejam respeitadas. Isso também aumenta a precisão do serviço, pois permite a criação de um melhor planejamento logístico e um acompanhamento real da operação.

Personalização do serviço

Muitas empresas acabam contratando o Transporte Dedicado dentro de uma estratégia de marketing. Com isso, além da exclusividade dentro dos veículos, também pode acontecer uma customização dos equipamentos, como a inserção de logotipos ou frases de campanha.

Isso é interessante, pois ajuda na divulgação da marca da empresa ou nas promoções sazonais. Os clientes começam a ter contato com as mercadorias antes mesmo de entrarem nas lojas, facilitando a atração.

Logicamente, para um serviço de personalização, é desenvolvido um contrato contendo esses adicionais.

O que é carga de Fracionada?

A carga Fracionada também pode ser chamada de transporte de otimização. Isso porque é a modalidade aplicada para garantir que todo o espaço do veículo de transporte seja aproveitado.

Para isso, em uma mesma operação são inclusas cargas de vários remetentes, não sendo necessário que os destinatários estejam em pontos próximos uns dos outros.

O fato é que nem sempre os produtos de um mesmo usuário conseguem preencher todo o volume do veículo. E dependendo do local de entrega, a operação de transporte pode ser consideravelmente custosa para empresa.

É para resolver essa questão que a modalidade de carga Fracionada foi criada, coletando mercadorias de diferentes remetentes e dividindo os custos da operação entre todos.

O método ainda apresenta variações, como o Fracionado Itinerante e o Fracionado Crossdocking.

No Fracionado Itinerante, as entregas e o itinerário do veículo são definidos pelo próprio embarcador. Já no modelo Crossdocking, a roteirização e a movimentação da mercadoria são estabelecidas pelo transportador.

É importante, por exemplo, analisar a quantidade de SKU’s trabalhados e o tipo de produto transportado para escolher a melhor opção.

Para empresas que trabalham com um grande número de entregas, mas em pequenas quantidades, a carga Fracionada é uma alternativa inteligente de manter a qualidade e a eficácia do serviço. Mas é preciso que haja um alinhamento correto entre o tempo de coleta e entrega dos produtos, evitando atrasos ou paralisações de outras atividades.

Além dessas, é interessante citar a Carga não palletizada ou “Carga batida”. Nesse método, há um melhor aproveitamento dos espaços dentro do veículo, pois as mercadorias são “batidas” para encaixarem perfeitamente no baú de transporte.

A grande vantagem da Carga não palletizada é realmente a utilização correta dos espaços. No entanto, é uma operação que demanda maior tempo de execução, o que pode resultar em aumento de custo na carga e descarga.

Enfim, esses foram os conceitos e particularidades da carga de Lotação, Transporte Dedicado e Fracionado. O mais importante é perceber que existem diferenças consideráveis entre cada modalidade e que entendê-las é imperativo para não errar na hora da tomada de decisões. Priorize transportadoras que não só ofereçam os três tipos de serviços, mas que também apresentem know-how e experiência diferenciada no setor.

Transporte de alimentos: 5 razões para contar com uma empresa especialista

Diferentemente do que acontece com algumas cargas não perecíveis, o transporte de alimentos precisa de cuidados especiais para que toda a operação logística apresente os resultados esperados pelo fabricante e pelo comprador.

No entanto, essas diferenças não se resumem às validades das mercadorias ou a sensibilidade de alguns produtos. Licenças e documentos obrigatórios devem ser apresentados a fim de regularizar a movimentação da carga.

Nesse sentido, contar com uma transportadora especialista passa a ser uma estratégia primordial para toda empresa que visa otimizar esse processo sem onerar seu caixa financeiro.

Para mostrar o quanto esse método pode ser um diferencial competitivo, neste artigo, apresentaremos 5 motivos pelos quais você deve contar com uma transportadora especialista no transporte de alimentos da sua empresa. Continue com a gente e saiba mais!

1. Maior expertise no assunto

Todo tipo de carga tem as suas peculiaridades que devem ser consideradas na hora do processo de movimentação. E com o transporte de alimentos não é diferente. Contar com profissionais que possuam expertise no assunto é uma maneira de garantir que todos esses procedimentos serão seguidos corretamente.

Para a empresa fabricante isso é um fator essencial, pois com o know how apresentado pela transportadora, os produtos passam por toda cadeia logística seguindo o mesmo padrão de qualidade, desde o recebimento, armazenamento até a distribuição ao comprador. Em longo prazo, isso é importante para crescer o respaldo do produtor junto ao mercado.

2. Mais segurança no transporte de alimentos

A segurança da carga é outro ponto fundamental para o fabricante. Afinal, o intuito é que as mercadorias sempre cheguem intactas ao local de destino. E, nesse quesito, a participação de uma transportadora passa a ser interessante por diferentes fatores.

O primeiro ponto a se mencionar é a questão da violência propriamente dita. A taxa de roubo de cargas cresceu consideravelmente em várias cidades do Brasil. A cada ataque desse tipo, a empresa corre o risco de contrair um grande prejuízo financeiro.

A participação de uma especialista em transporte de alimentos pode ajudar a minimizar essa situação. Primeiramente, as transportadoras mais gabaritadas do setor trabalham com o rastreamento de veículos, permitindo que a carga seja acompanhada a distância 24 horas por dia. Assim, caso um imprevisto aconteça, a empresa pode agir rapidamente para evitar maiores danos.

Além disso, uma transportadora experiente conta com profissionais de alto conhecimento em seu quadro efetivo. E isso faz toda a diferença, pois são traçadas rotas mais seguras para a movimentação da carga, resultando também em maior dinamização do processo.

Outro ponto em relação à segurança é o cuidado com a mercadoria de maneira geral. Como dito na introdução do artigo, as cargas de alimentos demandam cuidados apropriados.

Com o planejamento correto, a organização da carga é realizada com o devido preparo, obedecendo ao empilhamento máximo de cada tipo de mercadoria. Assim, o risco de avarias as embalagens é muito menor —  basta um pequeno amasso para que produtos enlatados tornem-se impróprios para consumo, por exemplo.

3. Utilização de veículos adequados

Um operador especialista apresenta uma estrutura adequada para a realização do transporte de alimentos. E dentre as diversas ferramentas e equipamentos que são necessárias, está a frota de veículos.

Contar com veículos apropriados é essencial para que a operação aconteça de maneira rápida, segura e satisfatória. Na prática, cada tipo de mercadoria passa a ser alocada no equipamento que melhor favoreça suas caraterísticas.

Entre os veículos mais utilizados no transporte de alimentos estão:

  • caminhão truck (veículo mais longo de três eixos, que pode transportar até 12 toneladas de produtos);
  • caminhão toco (mais curto que o truck e com apenas dois eixos, consegue carregar até 8 toneladas de carga);
  • carreta (pode transportar até 30 toneladas de carga seca).

Em relação à carreta, ela pode ser baú ou sider: o baú é mais resistente, mas tem apenas saída na parte traseira. Já o sider oferece uma resistência, mas pode apresentar descarga pelas laterais do veículo.

Porém, esses são apenas alguns dos diversos equipamentos existentes para o transporte de carga. Utilizar o modelo de veículo propício é fundamental para evitar problemas com excesso de peso, que podem resultar em grandes prejuízos para todos os envolvidos.

4. Cumprimento de questões burocráticas

Entre as diversas particularidades que envolvem o transporte de alimentos, uma das mais relevantes é a burocracia de documentos. Em outras palavras, para que a movimentação de mercadorias aconteça sem nenhum tipo de problema, a carga deve sempre estar acompanhada das autorizações obrigatórias.

Não obstante, a conservação das etiquetas dos produtos também precisa ser observada. Elas são os informativos de cada produto e devem estar em ótimas condições, seguindo os critérios rigorosos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Se tratando das etiquetas, elas precisam estar:

  • sem manchas;
  • sem rasuras;
  • legíveis.

Qualquer descumprimento dessas normas pode acarretar na apreensão da mercadoria e até mesmo em multa para o fabricante.

Uma transportadora com experiência na área obtém os conhecimentos certos sobre todas essas determinações. Agindo como uma parceira da empresa, o operador logístico verifica se todos os documentos estão corretos e aponta possíveis faltas ou falhas nos trâmites legais.

Além de tudo isso, contar com uma marca especialista é uma forma de garantir que os processos ocorram dentro das normas, pois as transportadoras também precisam de autorização legal para desenvolver esse tipo de serviço.

5. Redução de custos

Como vimos ao longo do texto, o processo de transporte de alimentos oferece grandes riscos para as empresas. É fundamental considerar não só as características dos produtos transportados, mas também seguir as regras vigentes.

Todavia, mesmo com todos esses cuidados, a empresa ainda precisa se preocupar com a questão de segurança da carga, da adequação dos veículos, contratação de pessoal etc. Em outras palavras, o transporte de alimentos é uma operação que pode ser bastante custosa.

Ao contratar uma marca especializada, a sua empresa diminui a maior parte dessas solicitudes, reduzindo os custos e ainda qualificando o serviço.

Questões burocráticas, manutenção da frota e criação de rotas: todos esses e outros fatores passam a ser de responsabilidade da transportadora, amenizando os gastos da sua empresa e permitindo que a sua equipe se concentre em outras tarefas.

Portanto, contar com uma especialista para o transporte de alimentos da sua empresa é a maneira mais inteligente de garantir uma operação com planejamento adequado e uma execução em excelência. Afinal, para que o seu produto chegue em perfeitas condições ao comprador, os processos de recebimento, armazenamento e entrega precisam seguir um padrão de qualidade definido. Então, analise as informações apresentadas e trabalhe sempre com as melhores transportadoras do mercado.