5 dicas de segurança logística para a sua empresa

Trabalhar em planejamentos e alternativas para reforçar a segurança logística é essencial para qualquer empresa. Afinal, acidentes de trabalhos nunca são fatores positivos – e podem até mesmo causar a paralisação das atividades.

O gestor precisa identificar os diferentes riscos do fluxo logístico e desenvolver formas de eliminá-los ou, pelo menos, amenizar as consequências. Quanto mais seguro o ambiente, melhor a produtividade dos colaboradores.

Para ajudar você nessa empreitada, preparamos este artigo com 5 ótimas dicas de como reforçar a segurança logística na empresa. Continue com a gente e boa leitura!

1. Estabeleça protocolos de segurança logística

O primeiro passo para aumentar a segurança logística é criar protocolos padrões para todos os envolvidos na área, incluindo funcionários, fornecedores, empresas terceirizadas, entre outros. Com procedimentos pré-definidos, diminuem consideravelmente as chances de acidentes e outras adversidades.

Devem existir protocolos direcionados para vários setores, como recebimento, armazenamento, distribuição etc. Por exemplo: os veículos que chegam à empresa devem andar no limite de 20 km/h, só encostarem à prancha para descarregar quando solicitados e os baús precisam estar sempre lacrados.

Ao criar procedimentos rigorosos, a sua empresa não só aumenta a segurança do local como também educa funcionários e parceiros, que passam a ver as medidas protetivas como ações naturais do dia a dia.

Para otimizar os resultados, mantenha os protocolos sempre visíveis em locais estratégicos, por exemplo:

  • portão de entrada;
  • área de cargas;
  • refeitórios.

2. Reforce a importância do uso dos EPIs

O uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) é uma obrigatoriedade legal. Toda empresa deve fornecer e orientar os seus funcionários a utilizá-los, do contrário, corre-se o risco de severas punições. Entre os principais EPIs do setor logístico, estão:

  • botas com biqueira de aço;
  • protetores auriculares;
  • capacetes;
  • óculos;
  • luvas.

Porém, é fundamental que o trabalho de conscientização vá além das questões legais. Uma organização que se preocupa com seus profissionais e deseja garantir máxima segurança logística precisa reforçar a mensagem sobre a importância dos EPIs. A obrigatoriedade do uso deve ser algo inegociável.

Lembra-se dos protocolos de segurança? A mensagem também precisa fazer parte dos procedimentos. Afinal, é comum alguns funcionários reclamarem do incômodo de alguns equipamentos. Um trabalho ostensivo é uma ótima estratégia para reverter esse tipo de visão.

Não obstante, vale a pena realizar investimentos em palestras com especialistas da área de segurança do trabalho a fim de explicar os riscos da não utilização dos EPIs.

3. Adquira equipamentos de fornecedores confiáveis

Os equipamentos utilizados na logística da sua empresa também podem ser um risco para a segurança dos colaboradores. Toda instituição deve se certificar sobre a procedência e a qualidade das ferramentas adquiridas.

Por mais que os protocolos de segurança sejam seguidos, um equipamento de má qualidade ou sem o certificado do Inmetro pode ser o fator inicial de um grande incidente. Para evitar algo negativo, é necessário analisar o histórico dos fornecedores dos equipamentos, tanto em questão da durabilidade e qualidade quanto de segurança das peças.

Além da procedência do maquinário, o gestor precisar ficar atento à questão da manutenção. Na indústria, há três tipos principais de manutenção:

  • preventiva;
  • corretiva;
  • preditiva.

Empilhadeiras, paleteiras e os próprios veículos necessitam de manutenções constantes. O ideal é considerar as instruções do fabricante para definir qual tipo de intervenção é a mais recomendada para cada equipamento.

4. Priorize rotas mais seguras para os veículos

O planejamento de segurança logística deve incluir também os processos externos, como, por exemplo, as rotas de viagens dos veículos. Um trabalho analítico, com um estudo sobre as vias mais perigosas, é essencial para a segurança da mercadoria e dos motoristas.

O Brasil atualmente é um dos países líderes em roubo de cargas. Os números crescem a cada ano e, infelizmente, não há uma perspectiva de grande melhora em curto período. Com esse cenário posto, as empresas precisam tomar suas próprias providências.

Além das questões de segurança pública, a má condição das estradas é outro fator de preocupação para os gestores. Apesar de o modal rodoviário ser o principal do país, a malha viária nacional ainda é bastante precária.

As duas situações são de macroambientes e não dependem do trabalho das empresas para serem revertidas. Por isso, é importante investir em tecnologias e estudos analíticos para escolher as melhores rotas e acompanhar os veículos durante todo o trajeto.

5. Conte com parceiras que trabalham com ótimos padrões de segurança

Não adianta investir em equipamentos de qualidade ou criar bons planejamentos para a sua organização se as empresas parceiras não seguirem padrões de segurança parecidos. Afinal, uma simples manobra equivocada de um caminhão terceirizado pode causar um grande estrago dentro do seu armazém ou galpão.

Na hora de fechar parcerias, analise sempre o custo-benefício. Pesquise sobre a experiência e certificações da empresa no quesito segurança do trabalho.

Enfim, medidas de segurança logística são sempre importantes para qualquer empresa. Por mais que algumas ações sejam fatores obrigatórios, é essencial que a própria instituição desenvolva seus planejamentos logísticos e crie medidas para reforçar a segurança geral, como adquirir equipamentos e tecnologias inteligentes e contar com a participação de empresas de alto padrão.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *