5 Ferramentas logísticas para ajudar a otimizar processos

O gerenciamento logístico deve ser feito de maneira cuidadosa e inteligente, a fim de garantir o máximo desempenho das equipes ao menor custo financeiro. Hoje, a grande vantagem é que as empresas podem contar com várias ferramentas logísticas para alcançar esse resultado.

Ao implementar soluções tecnológicas, o gestor não apenas facilita o trabalho dos colaboradores como também diminui as chances de erros contínuos. Em longo prazo, esse cenário impacta nos custos e na qualidade dos serviços da empresa.

Continue com a gente e conheça em detalhes algumas ótimas ferramentas logísticas que podem transformar a rotina do seu negócio. Boa leitura!

1. WMS

WMS é a sigla para Warehouse Management System (Sistema de Administração de Armazém, em português). Como o nome pressupõe, trata-se de um software que otimiza as atividades internas de um armazém. O WMS funciona com base em um banco de dados, alimentado pela própria empresa.

Na prática, a ferramenta utiliza as informações adicionadas a seu registro para manter a organização dos processos, garantindo que todas as movimentações do galpão aconteçam conforme o planejamento.

No entanto, o software apresenta melhores resultados quando aliado a outras ferramentas, como aparelhos com sensores, código de barras, entre outros. Entre as suas principais funções, estão:

  • análise sobre as necessidades do armazém;
  • controle de pedidos recebidos;
  • gestão de inventário.

Por sua vez, a empresa obtém inúmeras vantagens com a implementação, por exemplo:

  • redução do tempo na realização dos processos;
  • maior organização do armazém;
  • menor desperdício de recursos.

2. TMS

O Transportation Management System (Sistema de Administração de Transporte) é uma tecnologia inteligente voltada para o gerenciamento e controle de transporte de uma empresa.

Entre as ferramentas logísticas, o TMS é uma das mais eficazes para o agendamento e rastreamento de entregas. O software consegue, por exemplo, compartilhar informações sobre a distribuição do produto com fornecedores e clientes, melhorando a integração entre as partes envolvidas na operação.

Além disso, o TMS é capaz de:

  • emitir eletronicamente relatórios de controle (romaneio);
  • criar simulação de fretes e rotas ideais;
  • agendar entregas;

Em longo prazo, as vantagens da ferramenta são:

  • melhor controle nas informações de manutenção de frota;
  • diminuição de custos nos processos de transporte;
  • agilidade na distribuição de cargas.

3. ERP

Diferentemente das outras duas ferramentas logísticas citadas, o Enterprise Resource Planning (Planejamento de Recursos Empresariais) é um software muito mais abrangente. O ERP é uma tecnologia capaz de gerenciar e controlar todos os recursos de uma organização.

Basicamente, trata-se de uma ferramenta de otimização geral, com capacidade de acompanhamento das atividades de diferentes setores, desde a parte administrativa até as operações logísticas – resultando em processos muito mais homogêneos. Entre as várias funcionalidades, ele apresenta:

  • controle de produção de fluxo de caixa;
  • identificação de gargalos nos processos;
  • emissão de notas fiscais eletrônicas;
  • acompanhamento de estoque;
  • controle de custos.

Outra grande vantagem do ERP é a facilidade de integração que a solução permite com outras ferramentas logísticas, por exemplo, os módulos de WMS e TMS.

4. SRM

O Supplier Relationship Management (Gestão de Relacionamento com Fornecedores) é uma ferramenta semelhante ao CRM. Porém, enquanto a segunda trabalha para melhorar o relacionamento direto com o cliente, o SRM tem o objetivo de facilitar a relação entre empresa e fornecedores.

Entre as ferramentas logísticas, ela é uma ótima opção para uma estratégia de otimização do controle de estoque e fornecimento de suprimentos da organização.

Na prática, o software funciona como um apoio na integração de informações sobre a cadeia de suprimentos. Ou seja, um canal de armazenamento de dados que se torna um ponto em comum na comunicação entre fornecedores e a gestão administrativa.

Com isso, a empresa consegue aperfeiçoar os processos de fornecimento e aquisição de bens, resultando na melhoria de outras atividades, tais como:

  • armazenamento de mercadorias;
  • realização de inventários;
  • compras.

Mas como dito inicialmente, o SRM é uma das ferramentas logísticas com o intuito de facilitar o relacionamento entre empresa e fornecedores. E isso pode ser feito de diferentes maneiras, continue lendo e entenda.

Categorização das áreas de compras

Com o SRM, o gestor consegue dividir os fornecedores de acordo com a área dos produtos. Ou seja, exercendo o controle de maneira categorizada.

Essa estratégia permite um trabalho mais próximo junto aos fornecedores, além de oferecer uma maior facilidade na obtenção de dados, por exemplo:

  • custos mensais e anuais;
  • eficiência nas operações;
  • qualidade dos materiais.

Definição de critérios para escolha de fornecedores

Um relacionamento tende a dar certo quando se inicia de maneira correta. Para isso, é importante definir bons critérios na escolha dos fornecedores.

O software pode ajudar como um comparativo de informações. Ao utilizar dados dos históricos, o gestor consegue descobrir pontos úteis para a relação com seus fornecedores, tais como:

  • qualidade das mercadorias;
  • cumprimento de contrato;
  • tipo de atendimento.

Gestão da performance dos fornecedores

Assim como é possível definir critérios, o software é uma ótima ferramenta para avaliação desses pontos. Com a função de gerenciar as atividades dos fornecedores, o SRM permite que o gestor acompanhe de maneira próxima a performance dos parceiros.

Isso é interessante, pois facilita a identificação das fraquezas e virtudes de cada fornecedor, aumentando as chances de sucessos dentro de cada planejamento.

5. Software de gestão de estoque

O controle de estoque é, sem dúvida, uma das principais atividades do setor logístico. O sucesso desse trabalho impacta diretamente outros departamentos, como compras, vendas, distribuição etc.

É visando o aperfeiçoamento da atividade que os software de gestão de estoque estão entre as ferramentas logísticas mais requisitadas no mercado atual. E isso não é à toa, as soluções realizam um gerenciamento a partir da integração de informações, impulsionando o trabalho das equipes. Entre os principais benefícios do software, estão:

  • facilidade no rastreamento de produtos ativos no estoque;
  • diminuição da taxa de mercadorias obsoletas;
  • mais eficiência nas operações de estoque;
  • maior produtividade da área de vendas;
  • armazenamento centralizado.

Independentemente das ferramentas logísticas implementadas, o fato é que, hoje, para que a sua empresa se mantenha forte e competitiva no mercado, é necessário o suporte tecnológico em diferentes atividades. Mas não só isso, é importante também contar com parceiras que ofereçam serviços diferenciados e abracem a inovação em suas rotinas. Então, analise as informações apresentadas e garanta sempre a excelência para os seus funcionários e clientes.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *