Precificação e Tecnologia: a relação e os impactos no seu negócio

Por muito tempo, o preço de produtos e serviços era definido por gestores e empresários apenas considerando os custos de produção e a margem de lucro. Porém, hoje, há um entendimento de que o controle de precificação deve ir além dos fatores básicos.

Não há mais como ignorar o cenário de alta tecnologia que vivemos atualmente. Com ferramentas, aplicativos e softwares ditando e/ou ajudando a ditar o nosso cotidiano, alguns conceitos do mundo corporativo já se mostram ultrapassados.

A precificação e a tecnologia andam lado a lado atualmente. E como um dos setores mais impactados pela revolução 4.0, a logística deve abraçar o quanto antes as novas ideias. Para melhor entendimento, preparamos este artigo discorrendo mais sobre esse assunto.

Boa leitura!

A precificação na Era 4.0

No passado, independentemente do setor, a precificação de uma empresa era definida considerando fatores tradicionais como custo de aquisição de matérias-primas, produção e margem de lucro. Qualquer estudo além desses pontos era raso e raro.

Mas a transformação digital trouxe uma nova visão sobre o assunto. Hoje, ignorar o fato de que os clientes têm acesso a informações privilegiadas e estão mais conscientes sobre os produtos e serviços que consomem é uma cartilha para o insucesso.

Atualmente qualquer cliente consegue comparar facilmente os preços e entender quais marcas estão trabalhando dentro de uma realidade aceitável. Não há mais razão para seguir apenas o argumento de “oferta e procura”. O poder de decisão do cliente é muito maior.

As empresas logísticas precisam entender e se adaptar a essa nova realidade. Se antes a precificação não era um ponto de preocupação dentro do setor, a revolução 4.0 chegou para mudar isso.

O preço de uma operação logística precisa ser um fator competitivo, fazendo parte de uma grande estratégia que objetiva criar uma experiência personalizada e otimizada para os clientes.

O preço dinâmico

O preço dinâmico não é um conceito novo, mas é um modelo completamente aplicável à realidade atual do mercado logístico.

Desenvolvida nos anos 80 pela American Airlines, a metodologia vai além dos fatores padrões para definir a precificação de serviços. Com o preço dinâmico, a empresa analisa pontos externos que influenciam diretamente na lucratividade do negócio, por exemplo:

  • mudanças de comportamento do cliente;
  • preferências do consumidor;
  • experiência diferenciada.

Com a tecnologia sendo um suporte contínuo ao cliente, esse conceito é uma ótima alternativa para que uma empresa se mantenha altamente competitiva, mas ainda respeitando fatores como lucratividade, gastos internos, materiais, entre outros.

Como aplicar uma precificação moderna e competitiva na sua empresa?

Se a tecnologia transformou a forma como os clientes analisam os preços de serviços das empresas do mercado, ela também pode ser a solução para que os gestores trabalhem uma precificação mais moderna em seus negócios. Mas ela não é o único fator. Confira algumas dicas.

Análise massiva de dados

A tecnologia já oferece diversas ferramentas para a captura e análise de dados. Com isso, as empresas conseguem estudar as preferências, tendências do mercado, concorrência e outros fatores que impactam em uma precificação moderna.

Com a análise massiva de dados é possível, dentro da sua realidade, impulsionar a rentabilidade e a competitividade do negócio, tornando cada serviço logístico único e altamente diferenciado para os clientes.

Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial é outra arma utilizada para melhorar vários processos de um negócio, inclusive a precificação.

A IA de uma Machine Learning é um ótimo exemplo. Com ela, uma empresa consegue analisar, por exemplo, quais os seus serviços logísticos mais requisitados dentro de um determinado período e quais precisam de mudanças e melhorias pontuais.

Isso permite que a alteração de preços seja realizada com maior efetividade, considerando as variáveis padrões e os fatores mais abrangentes.

Parceiros inovadores

Diferentemente de outros setores, a logística já trabalha com pontos que vão além do convencional. Aqui, é preciso considerar questões como frete, tipos de veículos, condições de estradas etc.

Por isso, não basta apenas desenvolver uma gestão inovadora dentro da empresa, é preciso contar com parceiros que abracem e apliquem os conceitos da transformação digital em seus empreendimentos.

Fornecedores e transportadoras devem estar na mesma sintonia que a empresa contratante, do contrário, a definição de preços mais modernos pode não trazer os bons resultados esperados.

Não há dúvidas que a tecnologia conseguiu mudar muitos conceitos e práticas enraizadas na cultura corporativa. Por isso, o novo modelo de precificação precisa ser considerado e seguido por toda empresa deseja se manter forte e expandir os negócios em um futuro próximo. Mas, não se esqueça: contar com uma transportadora que já desenvolve uma gestão inovadora é imperativo para garantir um trabalho diferenciado e que esteja à altura das expectativas do seu cliente.

Gostou do artigo? Fico com alguma dúvida sobre o assunto? Deixe a sua opinião nos comentários.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *