logistica no agronegocio

Transportes no Agronegócio

Embora a logística e agronegócio sejam dois fatores que praticamente caminham lado a lado, muitos produtores ainda não exploram corretamente todas as possibilidades. Não há dúvidas que os conceitos trabalhados na logística podem oferecer caminhos para que os empresários sejam mais competitivos e fortes no mercado.

Por si só, o agronegócio já envolve diferentes atividades relacionadas à agrícola e pecuária. É uma área que exige conhecimento e preparo por parte dos profissionais. A partir do momento que esse “extenso mundo” utiliza estratégias e ideias da logística, o resultado tende a ser uma melhoria contínua da cadeia de produção e maior qualificação do serviço.

Então, para explicar melhor a relação entre logística e agronegócio, preparamos este artigo com os principais pontos sobre o assunto. Continue com a gente e confira.

Boa leitura!

Qual a relação entre logística e agronegócio?

Como dito na introdução, a logística é algo intrínseco ao agronegócio, tendo em vista todo o planejamento necessário para garantir que as mercadorias saiam da linha de produção e cheguem às prateleiras comerciais da melhor maneira possível.

No entanto, ainda acontece uma utilização rasa da prática logística — não sendo uma regra, claro. Muitos produtores acabam não conseguindo alcançar resultados mais expressivos justamente por ignorarem ideias centrais da logística, tais como:

  • estudos sobre as necessidades das empresas;
  • busca por melhores parceiros no transporte;
  • entendimentos sobre os desafios do setor.

Ao alinhar as tarefas logísticas à rotina de processos do agronegócio, os serviços da sua empresa se mostrarão mais propícios a alcançar melhores números, ao uso de uma quantidade menor de recursos — sejam financeiros ou de mão de obra.

Por fim, sendo desenvolvido em diferentes frentes, o agronegócio requer estratégias variadas da própria logística. É a partir daí que um novo cenário de melhorias começa a surgir.

Quer saber quais os tipos de logísticas trabalhadas? Confira no próximo tópico.

Quais os principais tipos de estratégia logística para o agronegócio?

Para que o elo entre logística e agronegócio resulte em otimização e produtividade, é preciso focar estratégias em que haja um complemento das duas partes. Há dois processos que são fundamentais dentro dessa ideia: Logística de suprimentos e Logística de distribuição.

Logística de suprimentos

Por trabalhar com produtos de origem agrícola e de pecuária, o agronegócio produz uma quantidade grande de mercadorias, por exemplo:

  • frutas e verduras;
  • aves e carnes;
  • laticínios.

Cada um desses itens apresenta características próprias e especificações restritas de produção, armazenamento, venda e distribuição. Se adequar a todas as exigências é uma necessidade irrevogável, demandando um planejamento inteligente por parte das empresas com o objetivo de garantir uma execução próxima à perfeição.

É para certificar que tudo ocorra da melhor maneira que entra em ação a Logística de suprimentos. Aqui, logística e agronegócio andam lado a lado para superar os desafios e realizar uma gestão de insumos organizada.

O objetivo é garantir maior produtividade e diminuir os custos em etapas essenciais como aquisição de matéria-prima, comercialização, armazenamento etc.

Logística de distribuição

Já a Logística de distribuição é focada na parte de transporte do agronegócio. O transporte nesse setor vai muito além das mercadorias: máquinas e ferramentas pesadas precisam ser deslocadas frequentemente para que a produção aconteça.

Além das especificidades citadas sobre o transporte das mercadorias, o produtor no agronegócio se preocupa com a legislação e normas sobre o limite de peso na movimentação das cargas, e isso inclui os grandes equipamentos.

No Brasil, a Lei nº 11.442 é a que indica o limite do volume a ser transportado por cada tipo de veículo — o não cumprimento pode trazer punições graves.

A Logística de distribuição é a estratégia que trabalha esses pequenos, mas essenciais detalhes sobre o transporte no agronegócio. Além da questão do peso, é nesse planejamento que se estuda e define outros pontos:

  • condições ideais para armazenamento dentro e fora do veículo;
  • tipos de veículos adequados para o transporte;
  • definição sobre terceirização do transporte.

A análise sobre os veículos de transporte é um dos fatores primordiais nesse estágio. Diferentemente da logística desenvolvida em outros setores, em que a diversidade de caminhões não precisa ser tão grande, o agronegócio exige uma alta variedade:

  • bi-trem para transporte de cana de açúcar;
  • caminhão caçamba para grãos e derivados;
  • veículos com baús climatizados.

Diante desses pontos de alta relevância, e complexidade, a logística e agronegócio precisam se aproximar cada vez no dia a dia das empresas do ramo. É importante também contar com o trabalho e a expertise de transportadoras que oferecem serviços que estejam a altura da diversidade do setor. Afinal, os processos do agronegócio são bastante dinâmicos, e você deve ter todo tipo de solução à sua disposição.

Gostou do artigo? Que tal agora conhecer 5 razões para contar com uma empresa especialista para o transporte de alimentos?

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *